Coelho à caçador

– Mãe dou-te dois euros se fizeres a minha cama e a do mano.

Aos 5 anos, a minha filha decobriu o poder do dinheiro.

Andou todo o fim de semana atrás de mim com uma bolsinha a tilintar. Estava compradora e disposta a pagar por tudo, até ao mano para que mudasse de canal. No dia de reflexão, expliquei-lhe que havia coisas que não fazíamos por dinheiro mas sim por amor ou sentido de responsabilidade e até consegui que o mano lhe devolvesse os 50 cêntimos do Gumball. Mantive-me firme e hirta durante todo o domingo, mesmo quando ela me ofereceu 1 euro para ficar a brincar com ela aos restaurantes em vez de ir para a inexplicável longa fila das legislativas (pelos vistos, cerca de 40% dos portugueses foram na brincadeira…).

Segunda-feira chuvosa. 5 de outubro de trabalho. E para o almoço Coelho à caçador, outra vez e durante mais quatro anos. Ninguém me paga para isto, nem mesmo a minha filha.