Novos vinhos Tecedeiras e Covela para o tempo frio

A Lima Smith escolheu o Museu do Oriente para apresentar os seus vinhos para o tempo frio. A conduzir a prova esteve o produtor, o ex-jornalista britânico Tony Smith, um dos sócios do projecto com o empresário brasileiro Marcelo Lima, e os enólogos Rui Cunha e Carlos Lucas, das quintas de Covela e Tecedeiras, respectivamente, ambas pertença da empresa. Da primeira foram apresentados os vinhos Escolha 2014 e Reserva 2013, dois brancos de inverno, para além do Reserva tinto 2012. Da Quinta das Tecedeiras, que apenas habitualmente faz tintos reserva e Portos Vintage e LBV, foi apresentado o Reserva 2013 e o LBV 2011, para além de Tawny Reserva.

Após o final da prova foi inaugurada a exposição So Far, So Close, da artista plástica macaense Cindy Ng, que resultou de uma residência artística desta nas quintas de Covela e Boavista. No evento decorreu uma performance da artista com o grupo de música macaense The Folga Gaang Project e um momento com vinhos da Lima Smith.

 

Covela Reserva Tinto 2012_No_Year

Covela Reserva Tinto 2012 

Produzido com uvas das castas Touriga Nacional, Cabernet Sauvignon e Merlot, é um vinho de aroma marcado pelas notas de pimento verde e vermelho e de fruto preto maduro, para além da madeira e do tabaco. Na boca é elegante, tem corpo e final médio com notas de fruta madura. Para apreciar agora ou durante mais anos, de preferência a 18ºC no copo, na companhia de pratos de carne vermelha e caça.

 

Quinta das Tecedeiras Reserva_2013

Quinta das Tecedeiras Reserva 2013

Vinho complexo, fresco e elegante, com notas florais a lembrar violetas, fruta preta madura e alguma compotada, a lembrar amoras, framboesas e frutos do bosque. Na boca apresenta tanino fino, estrutura, e um final longo com frescura e aromas de madeira. Um grande vinho, que pode ser apreciado agora entre os 17 e os 18ºC no copo, depois de decantado, que ganhará virtudes com o tempo de guarda.

 

Quinta das Tecedeiras_Tawny

Quinta das Tecedeiras Porto Tawny Reserva

Este vinho não é um tawny tradicional, pois resulta de restos de Portos Vintage e LVB de 2004, 2005, 2009 e 2010 armazenados em barricas de 225 litros dispostas em solera nos lagares da Quinta das Tecedeiras. O vinho provado tem menos doçura que o habitual, muito agradável no nariz, onde se salientam as notas de café e ginja madura, para além dos frutos secos e de algum vinagrinho. Na boca é elegante, guloso, longo. Foram produzidas 2000 garrafas de um vinho cujo PVP recomendado é de 14 euros.