A agenda de… Gracinha Viterbo

O seu apelido faz com que dispense apresentações, e Gracinha já provou que herdou o talento da mãe para a decoração e para os negócios. Com o marido, gere uma descendência de quatro filhos, a Viterbo Interiores Design e a sua mais recente criação, o Cabinet of Curiosities.

Gracinha Viterbo, decoradora e empresária.

Diz que não tem uma rotina concreta, mas que tem a vida organizada ao minuto, e este é o segredo de Gracinha Viterbo para conseguir gerir todas as frentes da sua vida. Os quatro filhos, de 7, 10, 11 e 13 anos, tomam-lhe o início e os finais do dia, mas pelo meio muita coisa acontece. A sua atenção divide-se entre os trabalhos de arquitetura de interiores e design da Viterbo Interiores Design, empresa que gere com o marido, Miguel Vieira da Rocha, e que tem cerca de 20 projectos em Portugal, Europa, e Ásia – o que a obriga a trabalhar em dois time zone completamente diferentes  -, a sua mais recente loja, Cabinet of  Curiosities, e a sua equipa, “que adoro e me acrescenta cabeças, braços e pernas, mas a quem também tenho de acompanhar e dar respostas”. Dito isto, poderia pensar-se que não sobra tempo para mais nada, mas Gracinha ainda consegue encaixar yoga, muay-thai e meditação “sempre que possível”, e um jantar com o marido ou com amigos, uma vez por semana. Descubra como é possível encaixar tantas atividades em apenas 24 horas.

5h45

Toca o despertador, começo o dia com 15 minutos de meditação.

6h00

Ponho musica alta pela zona dos quartos da casa e ligo as luzes de presença nos quartos dos meus filhos e dou-lhes um beijinho e um bom dia ao ouvido para eles irem saindo do sono profundo sozinhos, alguns deles acabam por acordar mesmo e começar a arranjarem-se sozinhos (deixo tudo pronto no dia anterior). Enquanto isso, aproveito para me arranjar.

6h30

Volto aos quartos deles e ajudo quem precisa. De seguida, vamos para a cozinha tomar o pequeno-almoço com calma. É a refeição preferida de todos e o momento onde falamos de como vai ser o nosso dia, gostamos de os motivar e relembrar o bom que é viver de forma positiva e a conversa do pequeno almoço ronda sempre esses temas.

7h20

Saimos todos de casa e, dependendo do trânsito, consigo deixá-los na escola até às 8h15m.

8h15

Dois dias por semana não levo os meus filhos à escola, pois tenho yoga entre as 8h15 e as 9h, ou faço jogging ao ar livre – nesses dias começo o dia pela loja, que abre as 10h. Nos restantes, às 8.45 estou no escritório ou em alguma reunião de obra marcada ao arranque do dia, dependendo das prioridades da semana.

8h45

Gosto de pôr a play list da semana a fazer. Gosto de falar com a minha equipa saber como estão, o que viram que os inspirou, e vice versa. Gosto de team building e costumo trazer croissants ou alguma surpresa para todos saborearem no início da semana.

9h00

Geralmente, os meus dias começam com reuniões e, de seguida, faço uma reunião de kick off com o meu marido de 20/30minutos. Depois disso, respondo a emails e telefonemas até às 10h, e volto a esta tarefa no final da manhã.

10h00

Começo por dar atenção aos projectos consoante prioridades. As manhãs são mais de acompanhamento de projeto, as tardes são mais de desenvolvimento de projetos com a minha equipa de projeto e desenho técnico, em reuniões de obra ou no escritório de especialidades e arquitetura.

Há dias em que tenho duas reuniões de seguida de acompanhamento de projetos e respostas a dúvidas, outros em que estou fora e aí dedico-me só ao trabalho que me levou a viajar. (Aproveito as horas de viagem para dar respostas a assuntos pendentes à minha equipa)

13h00/13h45

Ao almoço costumo passar pelo Cabinet, a minha loja, para fazer o ponto de situação Aproveito para estar com clientes e, muitas vezes, para ter almoços de trabalho com clientes ou colaboradores. Confesso que muitas vezes não tenho tempo para almoçar ou me esqueço, embalada pelo trabalho.

14h30

Passo pelo meu atelier de costura e estofo para acompanhar os trabalhos, responder a dúvidas e validar o que já está pronto a sair. Depois disso, posso voltar ao escritório, se preciso de desenhar, de tomar decisões de criação ou preparar a apresentação de um projeto. Como posso ir visitar fornecedores, executantes ou artistas, ou procurar lugares que me ajudem num tema que quero desenvolver e pesquisar.

16h20

Recebo sempre um telefonema de um dos meus filhos, que já a caminho de casa me liga para dar um beijinho. Aproveito para saber como foi o dia e relembrar quais as atividades de cada um depois da escola.

Faço um break pequeno para ir lá fora respirar. Tomo um café e observo a equipa à distância. Gosto muito de observar e, como dizem os ingleses, “collect my thoughts”.

17h00

Continuo o desenvolvimento dos projectos ou vou para o departamento de desenho técnico, validar desenhos, responder a dúvidas e alinhar trabalhos para cumprirmos os prazos.

19h00

Chego a casa e vejo o que os meus filhos fizeram. Gosto que me ajudem a preparar o jantar e a mesa para o meu marido. Por vezes, quando chego, o meu marido já o fez com eles. Estão na fase de se tornarem independentes – têm 7, 10, 11 e 13 anos, e usamos este final do dia para os responsabilizar com tarefas pequenas.

Jantamos todos, menos o meu filho mais velho, que é atleta do Sporting Clube de Portugal na academia do sporting em Alcochete, e só chega a casa às 21h30.

21h00

É hora de um de nós deitar os mais novos e preparar a roupa e as coisas para a manhã seguinte, enquanto o outro vai esperar o filho mais velho o autocarro. Fazemos-lhe companhia enquanto janta e até se deitar.

22h15

Depois de ter os filhos na cama, é a altura de pôr a conversa em dia com o meu marido e de aproveitarmos para ver uma série ou lermos antes de nos deitarmos por volta das 23h/23h30. Afinal, os nossos dias começam muito cedo.