Quem são as Mulheres Mais Influentes de Portugal 2018

Este é o resultado do estudo feito em exclusivo para a Executiva pelo jornalista Filipe S. Fernandes. Saiba quem são as mulheres mais influentes de Portugal.

Neste ranking de As Mulheres Mais Influentes de Portugal destaca-se a emergência de mulheres em lugares de topo em sectores como a saúde, o poder político, as empresas. Na gestão e nos negócios afirmam-se cada vez mais as mulheres com a entrada de Paula Amorim, presidente da Galp Energia, que se cimentou mediaticamente e, este ano, foi distinguida como empresária do ano na 1.ª edição do Prémio Expresso Economia CGD, e foi, com Isabel Mota, presidente da Fundação Gulbenkian, convidada a participar nos encontros de Bildberg. Por sua vez, Elisa Ferreira tornou-se a segunda figura do Banco de Portugal e credita-se como potencial sucessora de Carlos Costa.

1 Cristina Ferreira, apresentadora da SIC e empresária

Protagonizou uma milionária transferência das manhãs da TVI para as da SIC, tendo ajudado a catapultar a estação de televisão de Laveiras, Paço de Arcos, para a liderança das audiências 12 anos depois. A sua contratação contribuiu para o apagamento de outras figuras televisivas estelares, remetidas para papéis mais secundários. Mantém ativos todos os seus negócios e aumentou a sua presença publicitária.

2 Joana Vasconcelos, artista plástica

É uma artista que divide opiniões. É popular e as suas exposições atraem multidões, mas, ao mesmo tempo, há uma certa resistência crítica à sua filosofia artística. Volta a ter uma grande exposição em Portugal, agora no icónico Museu de Serralves, que dá uma nova aura à sua projeção nacional e internacional, depois de ter estado num dos espaços expositivos mais conhecidos da Europa, o Museu Guggenheim de Bilbau.

3 Catarina Martins, líder do Bloco de Esquerda e deputada

Foi um dos esteios de apoio parlamentar do governo liderado por António Costa e um dos factores de estabilidade da denominada “geringonça” que governou Portugal durante os últimos quatro anos. Esta estratégia de proximidade ao poder num partido que se fez como de protesto, tem provocado algumas pequenas cisões no Bloco de Esquerda, e vai enfrentar duas batalhas importantes em que vai ser julgada a sua estratégia, que são as eleições europeias e as legislativas.

4 Francisca Van Dunem, ministra da Justiça

Magistrada do Ministério Publico prepara-se para cumprir um mandato de quatro anos no governo de António Costa, repetindo o feito da sua antecessora, Paula Teixeira da Cruz, no governo liderado por Pedro Passos Coelho. Conseguiu fazer um trajeto sem grandes sobressaltos, mesmo quando substituiu a Procuradora Geral da República, Joana Marques Vidal por Lucília Gago.

5 Assunção Cristas, líder do CDS e deputada

A atual presidente do CDS-PP, cargo que desempenha desde 13 de março de 2016, substituindo o líder carismático, Paulo Portas, mostrou-se uma combativa adversária da solução do governo de António Costa, um governo do PS com apoio parlamentar do PCP e do Bloco de Esquerda. No seu primeiro embate eleitoral assumiu-se como candidata à Câmara de Lisboa nas eleições autárquicas de 2017, tendo atingido o melhor resultado de sempre do CDS-PP (em coligação com o MPT e o PPM), com 20,57% dos votos com a eleição de quatro vereadores.  Tem agora a prova das europeias e das legislativas.

6 Paula Amorim, empresária e presidente da Galp

Nos negócios, Paula Amorim cimenta-se mediaticamente e, este ano, foi distinguida como empresária do ano na 1.ª edição do Prémio Expresso Economia CGD e foi, com Isabel Mota, convidada a participar nos encontros de Bildberg, a convite de Durão Barroso. É chairman da maior empresa portuguesa, a Galp, e fez uma das maiores operações financeiras do ano passado com a compra da Comporta. É a líder do Grupo Américo Amorim que herdou juntamente como a mãe, Maria Fernanda Amorim, e as irmãs Marta e Luísa. O Grupo detém, juntamente com o tio António Amorim, o controlo da Corticeira Amorim, 25% da Tom Ford, a Herdade do Peral e a Herdade Vale das Mulheres no Alentejo, e a Quinta Nova no Douro.

7 Cláudia de Azevedo, CEO da Sonae

Em julho de 2018, a administração da Sonae comunicou à CMVM que Cláudia Teixeira de Azevedo fora escolhida como presidente executiva do grupo, tomando posse a 30 de abril de 2019. Licenciada em Gestão pela Universidade Católica Portuguesa e MBA pelo INSEAD tem a sua carreira ligada à gestão de empresas do Grupo Sonae, criado pelo pai, Belmiro de Azevedo. A Efanor, holding dos irmãos Azevedo, controla 53% da Sonae, 63% da Sonae Capital e 69% da Sonae Indústria.

8 Judite de Sousa, jornalista da TVI

Apesar das horas baixas nas audiências da TVI, continua a ser um dos principais trunfos na informação da estação televisiva. A cobertura noticiosa da TVI das eleições brasileiras, no Rio de Janeiro, permitiu-lhe depois escrever em dez dias o livro “Político Esfaqueado ou é Morto ou é Eleito”, sobre a vitória de Jair Bolsonaro nas eleições presidenciais brasileiras. Além deste, tem outros nove livros publicados, mas são as suas entrevistas, com perguntas incisivas, e a sua presença no terreno em alguns dos mais importantes acontecimentos internacionais, que fazem dela uma referência no jornalismo televisivo.

9 Júlia Pinheiro, apresentadora da SIC

Estreou-se na RTP, mas foi na SIC, com A Noite da Má Lingua que começou a dar nas vistas. Voltou à RTP e depois mudou-se para a TVI, onde além de apresentar reality e talk shows, foi também subdiretora de informação. Regressou à SIC com estrondo em 2011, com o cargo de diretora de Gestão e Desenvolvimento de Conteúdos, sendo desde 2016, diretora executiva de conteúdos da SIC. Com a contratação de Cristina Ferreira, a apresentadora deixou as manhãs da SIC e passou para o programa da tarde onde se bate com Fátima Lopes da TVI, correspondendo a uma estratégia televisiva de sedimentar audiências ao longo do dia. Este ano estreou-se como actriz em Os Monólogos da Vagina.

10 Elvira Fortunato, investigadora e vice-reitora da Universidade Nova de Lisboa

É membro do grupo independente de alto nível de conselheiros científicos da Comissão Europeia até 2020. O facto de ter vencido pela segunda vez uma bolsa do Conselho Europeu de Investigação contribuiu em muito para esse balanço positivo. No caso, a verba é de 3,5 milhões de euros e vai começar a ser executada a partir de janeiro. Licenciada em Engenharia Física pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, onde se doutorou em Engenharia dos Materiais, Elvira Fortunato foi a primeira investigadora portuguesa a receber a medalha Blaise Pascal, da Academia Europeia de Ciências. As suas descobertas já deram origem a 16 patentes, cinco das quais internacionais e uma em parceria com a Samsung.

11 Leonor Beleza, presidente da Fundação Champalimaud

Presidente da Fundação Champalimaud, Leonor Beleza é a cabeça de lista única à presidência da direção da Associação Empresários Pela Inclusão Social (EPIS) e a provável sucessora de António Vitorino, antigo presidente do mesmo organismo, para o triénio 2019-2021. Já estava afastada da política ativa, depois de ter sido ministra da Saúde com Cavaco Silva, quando António Champalimaud a escolheu para liderar a Fundação com o seu nome, com um património na ordem dos 500 milhões de euros. Desde a sua fundação em 2005, tem conseguido atrair para Portugal importantes investigadores internacionais, sobretudo nas áreas ligadas às neurociências, oncologia e prevenção da cegueira.

12 Mariza, fadista/cantora

No ano passado, Mariza venceu o respeitado Prêmio Luso-Espanhol de Arte e Cultura. O seu último disco Mariza foi indicado para o Latin Grammys 2018, e considerado um dos discos do ano pela conceituada revista britânica Songlines. Oração, uma canção com um poema da sua autoria, contabiliza mais de 15 milhões de visualizações no YouTube. Em 2019, além do Brasil e Portugal, irá fazer uma turnê por países como a Bélgica, Holanda, Roménia, França, Luxemburgo, Alemanha, Estados Unidos e Canadá.

13 Joana Carneiro, maestrina

A maestrina titular da Orquestra Sinfónica Portuguesa, instituição que celebrou 25 anos, tem combinado na sua carreira experiências em orquestras internacionais, como a Orquestra Sinfónica de Berkeley, onde esteve uma década, com portuguesas, sendo também maestrina convidada da Orquestra Gulbenkian. Centrou parte da sua atividade em Portugal, embora seja com frequência chamada a dirigir programas contemporâneos em vários pontos do mundo.

14 Sara Sampaio, modelo

A modelo portuguesa tem quase 7,4 milhões de seguidores no Instagram, uma distância gigantesca para o segundo lugar, ocupado pela blogger Vanessa Martins, que tem 516 mil seguidores. Sara Sampaio é uma das modelos mais requisitadas da Victoria’s Secret e, mais uma vez, foi escolhida para a nova campanha da marca. Foi capa da edição de Abril da Numéro, publicação francesa de referência nas áreas da moda, beleza, design, cultura, artes e lifestyle. É mais uma capa para um extenso portfólio de capas internacionais das revistas Vogue, GQ, L’Officiel, Harper’s Bazaar e Paper Magazine.

15 Rita Pereira, actriz

A atriz, é uma das estrelas da TVI e dos media sociais em Portugal, com 1,2 mil seguidores no Instagram e 1,4 milhões de likes na página de facebook. Tem estado a apresentar o programa televisivo Apanha se Puderes, com Pedro Teixeira, e participado no Dança com as Estrelas.

16 Lucília Gago, procuradora-Geral da República

Apesar das tentativas e das pressões para se renovar o mandato de Joana Marques Vidal na Procuradoria-Geral da República, o Governo e o Presidente da República seguiram o princípio da não renovação. Assim surgiu a nomeação da Lucília Gago, que foi diretora do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, professora do Centro de Estudos Judiciários e líder do departamento de Direito de Família, esteve no Tribunal da Relação de Lisboa e trabalhou com a atual ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, na Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa.

17 Isabel Vaz, CEO da Luz Saúde

É um dos ícones das mulheres executivas em Portugal, o que faz multiplicar a sua presença em diversos fóruns. Criou a Luz Saúde no Grupo Espírito Santo quase a partir do zero e com uma equipa de apenas quatro pessoas, que entretanto cresceu para 9 mil colaboradores. Isabel Vaz lidera, há duas décadas, o crescimento do Grupo Luz Saúde, que hoje é detido pela Fidelidade Seguros do grupo chinês Fosun, que também é um dos principais accionistas do BCP.

18 Isabel Mota, presidente da Fundação Gulbenkian

Assumiu a liderança da instituição em Maio de 2017 e o seu mandato termina em 2022. Foi, com Paula Amorim, convidada a participar nos encontros de Bildberg, a convite de Durão Barroso. A sua carreira ganhou notoriedade como secretária de Estado dos Governos de Cavaco Silva, entre 1987 e 1995.  Depois foi para a Fundação Gulbenkian como administradora, cargo que exerceu entre 1999 até 2017. Foi conselheira do Conselho Económico e Social de Portugal, até 2016. É administradora não executiva do Banco Santander-Totta, desde julho de 2015

19 Daniela Ruah, atriz

A atriz portuguesa integra, desde 2009, o elenco da série americana Investigação Criminal: Los Angeles, da CBS, que se prepara para entrar na 11.ª temporada, e onde encarna a personagem Kensi. Daniela Ruah está de regresso à televisão portuguesa como atriz, depois de, em 2018, ter sido uma das apresentadoras do festival da Eurovisão, que se realizou em Lisboa. Será a estrela principal da série da RTP, A Espia, que vai ter oito episódios, e cuja história se passa durante a Segunda Guerra Mundial. Tem cerca de 1 milhão de seguidores no Instagram.

20 Elisa Ferreira, vice-governadora do Banco de Portugal

É considerada uma das principais candidatas ao cargo ocupado por Carlos Costa, cujo mandato termina em 2020 e poderá tornar-se assim a primeira mulher governadora do Banco de Portugal. É a sua representante junto da instituição responsável pela supervisão bancária na Zona Euro, o Mecanismo Único de Supervisão do Banco Central Europeu. Elisa Ferreira dirigiu a edição especial do 29.º aniversário do jornal Público.

21 Maria do Carmo Fonseca, cientista

Professora catedrática e presidente do presidente do Instituto de Medicina Molecular (IMM) João Lobo Antunes, desde 2014. Foi Prémio Pessoa 2010 e as suas áreas de investigação estão ligadas sobretudo à genética, biologia celular e molecular, transporte e localização de RNA, RNA splicing e RNA e doenças.

22 Alexandra Lencastre, atriz

A estrela das novelas da TVI, onde está há 16 anos, não grava novelas desde A Herdeira, em 2018. Neste período, a sua presença televisiva tem sido como jurada em Dança Com As Estrelas e a presença numa rubrica no Você Na TV, apresentado por Manuel Lui Goucha e Maria Cerqueira Gomes. Recentemente, participou no filme Parque Mayer, do realizador António-Pedro Vasconcelos.

23 Guta Moura Guedes, presidente da Associação Experimenta

Foi co-fundadora da associação cultural sem fins lucrativos “experimenta”, criada em Lisboa em 1998, da qual é presidente desde 2000, é diretora artística do Lisbon Gallery Design & Architecture, curadora da Primeira Pedra. Entre 1999 até 2017, dirigiu e programou a bienal experimentadesign (EXD). É colaboradora do jornal Expresso, membro do Conselho Consultivo da Fondazione Bisazza (Itália) e membro do Prémio Curry Stone Design (EUA).

24 Ana Garcia Martins, blogger A Pipoca Mais Doce

A sua mais recente loucura tem sido a stand up comedy, que, segundo diz, “começou completamente por acaso”. Participou nos roasts à Sic Radical (São Jorge, 2016) e ao Toy (Campo Pequeno, 2018), no Levanta-te e Ri (2019) e tem feito algumas sessões pelo país. Mantém-se como uma influencer destacada com o seu blogue, que pela terceira vez em três edições foi premiada nos Blogs do Ano na categoria de categoria Lifestyle.

25 Isabel Jonet, presidente do Banco Alimentar

“Não ganho um tostão há 25 anos. Sou voluntária, é quase uma missão de vida”, revelou numa entrevista ao Diário de Notícias. Entrou para o Banco Alimentar como voluntária, em 1994, dedicando duas tardes por semana à instituição. Pouco tempo depois tornou-se a principal responsável. Hoje há 21 bancos alimentares, que chegam a 400 mil pessoas e a 2600 instituições. Considera que a sua missão é lutar “contra o desperdício de tempo, contra o desperdício de amor, contra o desperdício de comida, contra o desperdício de pessoas”.

 

Saiba mais sobre a cerimónia de entrega dos prémios As Mulheres Mais Influentes de Portugal aqui.