9 comboios de luxo

São experiências de charme, luxo, romantismo e sofisticação, nalguns dos comboios mais bonitos do mundo, com paisagens de cortar a respiração e desfrutando de serviço irrepreensível

As carruagens do Rocky Mountaineer (Canadá) têm um teto panorâmico que cria a ilusão de viajar a céu aberto

Alguns comboios de luxo são tão exclusivos que só nos resta apreciar e relaxar, enquanto se conhecem locais deslumbrantes e de estética irrepreensível. Algumas carruagens contam até com o serviço “Steward” (uma espécie de mordomo) para facilitar ainda mais a estadia. Na seleção que se segue estão alguns dos mais luxuosos e bonitos do mundo, dados a conhecer por sites especializados como o luxurytrainclub.com ou agências de viagens como www.viagenselcorteingles.pt/viajeselcorteingles.es.

Kyushu Seven Stars, Japão

O conceito deste exclusivo comboio é “uma viagem para encontrar uma nova vida”. É que o Kyushu Seven Stars não se limita a avançar pelas belas paisagens japonesas. Em certos locais os passageiros podem apear-se e participar em excursões, o que faz com que viajar aqui seja um novo género de experiência de viagem. O comboio está decorado com diferentes madeira e tecidos, numa mistura entre a estética  ocidental e oriental.

No Kyushu Seven Stars cada quarto é único, espaçoso, com peças de decoração espetaculares. No restaurante do vagão Jupiter provam-se as requintadas especialidades da época e nos confortáveis sofás do lounge car ouve-se música ao vivo e assiste-se a vários entretenimentos. Na traseira deste vagão lounge, uma janela panorâmica deixa apreciar a paisagem à medida que ela vai ficando para trás.

Por que tem este comboio sete estrelas no nome? Porque são sete as “prefeituras” da ilha de Kyushu e sete os seus principais elementos turísticos: natureza, culinária, fontes termais quentes, história e cultura, hospitalidade, e os comboios panorâmicos, também conhecidos por design e story trains. E também porque são sete as suas carruagens.

Informações úteis

Preço: o mais caro custa 5536 euros/ por pessoa. A partir de 15 de outubro a empresa que explora o comboio lança um pacote para casais (Guest Rooms) a preços mais baixos, 3954 euros.
Dress code: smart casual de dia, semi formal ao jantar (fato e gravata, para as senhoras vestido, fato ou camisa e casaco). No verão não é necessário usar casaco, mas não é recomendável usar jeans, calções, tshirts ou sandálias. Nas excursões admite-se o uso de ténis.

 

Belmond Hiram Bingham, Peru

Viajar neste comboio, que tem o nome de um explorador americano a quem é atribuída a descoberta dos vestígios da cidade inca de Machu Picchu, em 1911, significa viajar com estilo. O Hiram Bingham transporta até 84 passageiros. As espaçosas e luxuosas carruagens, pintadas com as elegantes cores azul e dourado, estão mobiladas ao estilo anos 20, com painéis de madeira envernizada e acabamentos em bronze. Um charme. A carruagem panorâmica, na retaguarda, com grandes e confortáveis cadeirões, deixa apreciar a impressionante paisagem peruana. Nas duas carruagens restaurante, com mesas impecavelmente postas, com cristais e loiça requintada, pode-se tomar de manhã um brunch de três pratos, acompanhado por um vinho espumante e um sumo de laranja espremido na altura. E ao fim do dia há um menu de quatro pratos para mostrar o que vale a gastronomia peruana. Na carruagem bar experimenta-se o típico Pisco Sour, a aguardente típica do país.

O Hiram Bingham lá vai serpenteando pelas paisagens do Vale Sagrado, pelas montanhas e pela selva, e ao longo do curso do rio Urubamba. O comboio sai da cidade de Cusco pela manhã (9h05) do primeiro dia e regressa no dia seguinte à noite (21h15). Durante a viagem vêem-se vastos sucalcos agrícolas (Jaqijahuana), passa-se pelos restos de uma cidade inca (que não resistiu à conquista espanhola), pela aldeia de Ollantaytambo (escondida no Vale Sagrado) e  ainda pelo antigo complexo de templos A Fortaleza. Ao chegar a Aguas Calientes alguns minibuses aguardam os passageiros para os levar à cidade de Machu Picchu (a 15 minutos). É aqui que se passa a noite, no Bemond Sanctuary Lodge, onde os quartos são luxuosos, eco friendly, e têm vistas fabulosas, com varandas e pátios para relaxar.

Um guia acompanha os visitantes para que conheçam melhor este património da humanidade. O comboio dispõe de máscaras de oxigénio para quem tem problemas com a altitude a bordo. A viagem realiza-se todos os dias (exceto aos domingos), de maio a dezembro.

Informações úteis

Preço: o mais baixo ronda os 427 euros (por pessoa e um trajeto) e 714 euros (por pessoa, ida e volta);
Dress Code: smart casual. Aconselha-se repelente de insetos e gabardine.

 

Blue Train, África do Sul

O Blue Train (o exterior do comboio é todo azul) faz uma das viagens mais bonitas do mundo, entre Pretória (capital famosa pelos jacarandás) e a Cidade do Cabo, onde a verdadeira estrela é a paisagem africana. Existe desde 1946 e foi visitado por Lord Randolph (pai de Churchill), Churchill, o escritor Rudyard Kipling, e também acolheu Olive Schreiner, uma das primeiras escritoras femininas sul africanas. A viagem demora 27 horas e percorre 1600 quilómetros através de paisagens deslumbrantes. Não é à toa que o slogan do Blue Train é “A window to the soul of South Africa”. Vinhedos, paisagens desérticas e até alguns animais, como avestruzes e zebras, vão-se revezando pela janela, à medida que corre a viagem.

Uma vez por semana, durante todo o ano, a viagem pode ser feita nos dois sentidos. No sentido sul-norte, o Blue Train para no Matjiesfontein, um local fundado por um emigrante escocês numa pequena estação de comboios, que se tornou um óasis para ricos e privilegiados e muito procurado para cura de problemas respiratórios. No sentido inverso, de Pretória para a Cidade do Cabo, e após um brunch e um chá, o comboio chega à estação de Kimberley e os viajantes têm oportunidade de visitar o Museu Ferroviário e uma mina de diamantes, onde até pode acontecer que um deles encontre uma destas pedras preciosas e … fique com ela!

Este é o comboio mais chique de África: talheres de prata, louça com monograma, carta de vinhos sul africanos premiados, funcionários atenciosos, um serviço de cinco estrelas que inclui um mordomo em cada vagão, comida gourmet e algumas cabines com WC. O Blue Train tem uma ala para fumadores, o club car, outra para petiscos e bebidas, dois restaurantes, e bem ao fundo do comboio o Observatory, com janelas enormes. Em 1997, o comboio foi relançado. Nelson Mandela fez essa viagem.

Informações úteis

Preço: de 1000 a 2000 euros, dependendo da estação do ano e do tipo de carruagem.
Dress code: de dia, roupa desportiva e elegante; à noite, fato e gravata, vestidos para as senhoras.

 

Expresso do Oriente e
Venice-Simplon Orient Express, Europa

É difícil falar de comboios de luxo sem referir o Expresso do Oriente. Era um dos mais luxuosos do mundo, transportou burgueses milionários e membros da aristocracia europeia, e foi citado em filmes e em livros como um de Agatha Christie, o Crime no Expresso do Oriente. Mesmo tendo perdido muito das suas rotas e características icónicas, ainda é uma das formas mais convenientes de se chegar à Àustria, saindo de França.

A sua rota tem sido muito alterada desde que foi inaugurado em 1883, mas o declínio começou em 1962. Atualmente é gerido (ainda com funcionários da Wagon-Lits) pelas operadoras DB (Alemanha) e OBB (Áustria). E todos os dias, saindo às 22h20 da estação Gare de Strasbourg, o Expresso do Oriente parte para Viena, chegando às 8h51 do dia seguinte. Mas já nada se compara ao que era quando ligava Paris à antiga Constantinopla (atual Istambul).

Aproveitando-se da fama do inesquecível Expresso do Oriente, o empresário inglês James Sherwood inaugurou o serviço Venice-Simplon Orient Express (VSOE), depois de comprar e renovar vários vagões Pullman das décadas de 1920 e 1930. Um comboio que lançou a polémica. Dizem que o Venice-Simplon não tem relação com o lendário Expresso do Oriente de 1883, da Wagon-Lits. Mas há quem diga que este é autêntico Orient Express.

Este comboio de luxo viaja de Londres a Veneza passando por Áustria, Bélgica, Inglaterra, França, Alemanha, Hungria, Itália, Polónia, Roménia, Suécia, Turquia. A bordo é possível reviver o charme e o esplendor da Europa do início do século XX, que durante décadas transportou um público sofisticado e exigente. O comboio foi totalmente restaurado e elegantemente decorado para preservar a opulência passada. A gastronomia europeia é requintada, com excelentes jantares e excelentes vinhos, um serviço irrepreensível que exige que os passageiros se vistam formalmente para o jantar. Os interiores Art Nouveau da carruagem bar revivem uma atmosfera elegante e nas três carruagens restaurante todas as refeições são preparadas na hora. O chá da noite é servido no aconchego dos aposentos privados. Deliciosos chás pela tarde acompanhados por entretenimento ao vivo. Durante o dia, cada cabine dupla transforma-se numa sala de estar com sofá, banqueta, uma mesa pequena e um armário lavatório, com água quente e fria, muito original. À noite o espaço volta a transformar-se num quarto acolhedor com toalhas macias e lençóis brancos.

Informações úteis

Preço: Exemplo: Viagem Londres – Veneza, em cabine dupla, 3000 euros/ pessoa (2 dias/ 1 noite), no período de março a novembro. Ida e volta – viagem de 5 dias, duas noites em Veneza com custos de hotel à parte, visita aos monumentos mais importantes, cabine dupla 4313 euros/pessoa.
Dress code: De dia, elegante e casual; à noite, fato e gravata e, por vezes, laço preto e vestidos de noite para as senhoras. Os jeans não são aceitáveis.

 

Al-Andalus, Espanha

Tem o charme da Belle Époque, modernidade, conforto e as bonitas paisagens espanholas. As carruagens do lounge bar e restaurante foram construídas em França pela Wagon-Lits, entre 1929 e 1930, e agora foram restauradas de acordo com o esplendor original. São verdadeiras jóias dos anos 1920 que alojaram membros da monarquia britânica para atravessar França desde Calais à Costa Azul. Todas as carruagens têm grandes janelas que tiram partido das espectaculares paisagens.

O Al-Andalus oferece saídas desde Sevilha com iteneráros de três e seis dias, com visitas e excursões programadas para conhecer locais como Cádiz, Jerez, Ronda, Granada, Cordova, sem esquecer a beleza do Parque Nacional de Doñana. No verão dispõe de mais três rotas. A da Extremadura, com saída de Sevilha, o Caminho de Santiago, desde León, e a rota do Vinho Ribeira do Douro e Rioja, desde Zaragoza.

Está considerado como sendo o mais espaçoso e exclusivo comboio turístico do mundo e até recitais de música oferece durante as viagens. Em cada uma delas um train manager está a bordo para responder a todas as dúvidas. O comboio tem mais um pormenor: cinco das sete carruagens cama são originais da Wagon lits, com ar condicionado e com serviço de steward (assistente). Durante o dia as camas tornam-se confortáveis sofás e cada suite torna-se num lounge privado.

Informações úteis

Dress Code: Roupa confortável para o dia; smart casual para a noite. Há uma festa de fim de viagem. Recomenda-se sapatos confortáveis para andar nas cidades visitadas e, dependendo da época, um agasalho.

 

Eastern and Oriental Express,
Singapura, Malásia e Tailândia

Inspirado no Expresso do Oriente, este comboio mostra o sudeste asiático, com início em Singapura, passando pelo interior da Malásia e da Tailândia. Ao longo dos trajetos vêem-se extensos campos de arroz, antigos templos e vilarejos, até chegar a Bancoque. Como muitos outros, o Eastern Oriental Express também tem a sua história. Foi construído no Japão para viajar na Nova Zelândia. Mas com o sucesso do famoso comboio Venice Simplon, a empresa proprietária adquiriu-o e redecorou-o num estilo oriental e colonial.

Exotismo, esplendor, conforto, lounges elegantes e confortáveis, cozinha deliciosa, serviço requintado, são as caracerísticas mais marcantes deste comboio que também possui cabines com casa de banho privada, ar condicionado e todo o conforto de um hotel de luxo. Logo à chegada, os stewards dão as boas vindas com o famoso WAI, o gesto gracioso, com as mãos juntas. Vários percursos são possíveis para visitar templos budistas, andar de elefante ou passar pela famosa ponte do rio Kwai, situada numa das regiões mais belas da Tailândia e que teve até direito a um filme famoso realizado por David Lean. A música deste filme é das mais famosas do mundo.

O luxo oriental está estampado nas carruagens. As suites estão forradas a madeira de cerejeira e a tecidos com desenhos delicados e os vagões restaurante e bar têm igualmente exóticos e nobres materiais. O comboio tem um deck aberto com ambiente de varanda colonial.

Informações úteis

Preço: de 2 300 euros até 5 500, por pessoa e por 3 noites.
Dress code: smart casual diurno; fato e gravata e vestido para a noite.


El Transcantábrico
,
Espanha

Conhecido como um comboio-hotel de 5 estrelas, o El Transcantábrico é o mais antigo de Espanha, com mais de 30 anos de história, que depois de aprumadas melhorias se converteu num autêntico hotel de luxo sobre carris. Dois comboios, o El Transcantábrico Clássico e o Gran Lujo, juntaram-se num só e o resultado é um comboio muito especial, com o encanto dos anos 20 e o conforto dos tempos modernos, que atravessa toda a parte atlântica espanhola, conhecida como a Espanha Verde. Quatro das suas carruagens são autênticos Pullman de 1923 que foram decoradas ao estilo do início do século XX, com carruagens salões, sumtuosas e elegantes.

O El Transcantábrico percorre as paisagens do norte de Espanha, da Galiza à Baía de Biscaia passando pelas Astúrias, Cantábria, País Basco e Castela e Leão. Mas há mais do que um itinerário possível, como o de Santiago de Compostela até San Sebastian ou no sentido inverso.

As comodidades são muitas pois aqui a preocupação é a de que os passageiros disfrutem tanto dos lugares que visitam como do trajeto que fazem. Alguma da melhor cozinha de Espanha está na Galiza e nas Astúrias, com os queijos, os enchidos, as carnes, os vegetais, o peixe e o marisco, a dar cartas e todos unanimemente afamados. E os vinhos também. Os passageiros jantam em carruagens que parecem verdadeiros restaurantes regionais. Os painéis de madeira nas suites, o salão de chá, a carruagem panorâmica, um pequeno nigth club, acrescentam uma oferta invejável de serviços. Nas suites de nível Gran Lujo, a hidro sauna, o chuveiro a vapor, a turbo massagem, permitem ususfruir de um pequeno spa.

Informações úteis

Preço: 2500 euros a 4500, incluem jantar de gala, atividades a bordo (show cooking, bailes) excursões em autocarros de luxo, guia, imprensa diária.Os percursos são de uma semana (8 dias/7 noites) e em função da autecedência paga-se menos ou mais.
Dress code: smart leisure de dia, smart casual para a noite, traje para noite de gala.

 

Maharajas Express, India

O mais famoso comboio de luxo da Índia. Um quilómetro de comboio que tem toda a modernidade e conforto, ligando Calcutá a Nova Deli. E não só conforto interior. A suspensão hidraúlica e pneumática deste hotel andante garantem suavidade ao percurso. Considerado como uma nova iniciativa dos caminhos de ferro indianos para desenvolver o turismo na Índia, o Maharajas Express foi inaugurado em 2010 para circular em importantes locais turísticos como Gaya, Varanasi, a floresta de Bandhavgarh, Khajuraho, Agra e Gwalior. Mais uma nova forma de viajar pelo mundo, um hotel em movimento.

Foi concebido para recriar a elegância das carruagens particulares dos marajás, com interiores cheios de nostalgia, opulência e história. É um luxo viajar neste majestoso comboio com locais, sons e os cheiros maravilhosos. O comboio tem grandes janelas panorâmicas, serviço Valet 24 horas, dois bons restaurantes que oferecem os vinhos da casa e as cervejas como cortesia. Todas as suites disponíveis são elegantes, com grandes janelas para apreciar a paisagem e casas de banho modernas. Algumas suites contam com o serviço de um guia e de um carro de luxo para as deslocações exteriores. Estão disponíveis cinco percursos.

Informações úteis

Preço: de 3400 euros a 21000/ pessoa/ dia, e pode ser pago em rupias indianas, dólares ou euros.
Dress code: smart leisure de dia; smart casual para a noite.

 

Rocky Mountaineer, Canadá

Uma excelente maneira de ver Alberta e a região de British Columbia através das majestosas Canadian Rockies, as montanhas rochosas do Canadá. As carruagens do Rocky Mountaineer têm um teto panorâmico que cria a ilusão de viajar a céu aberto. A viagem é feita de dia para tirar partido da paisagem montanhosa e o comboio oferece várias escolhas de percursos de duração variável também, passando por cidades como Vancouver, Banff, Lake Louise, Calgary, Seatle (EUA). Por exemplo, no itinerário Coastal Passage a duração do passeio é de dez dias, três deles passados a bordo do Rocky Mountaineer (com pernoita em hoteis selecionados), e visita-se Seatle, Vancouver e Washington. Desde o noroeste do pacífico até às majestosas Rockies, esta viagem mostra as maravilhas do Canadá e proporciona uma experiência única de ligação ferroviária entre Seatle, no estado norte americano de Washington e Vancouver.

Os passageiros têm três dias de viagem de luxo, feita à luz do dia, e podem optar entre os serviços ouro deluxe ouro ou prata. No percurso Seatle-Calgary (ou vice-versa) pode-se, e deve-se, admirar as atrações destas cidades antes de iniciar o percurso até aos picos das montanhas, onde até se pode fazer um extraordinário passeio de helicóptero. Seja qual for a opção, a viagem é sempre fantástica. A diferença entre o serviço ouro deluxe e o ouro está nos hoteis incluídos. Desfrutar desta viagem em assentos reclináveis e rotativos enquanto se saboreiam deliciosas refeições e bebidas refrescantes e se observa a excecional paisagem, é uma experiência inesquecível.

Informações úteis

Preço: Exemplo de programa Coastal Passage, 3 dias, 400 a 540 euros, por pessoa.
Dress code: smart leisure de dia; smart casual para a noite.