Pediu emprestado o termo Failurist a dois amigos (“ironicamente dois primos gregos”) e acrescentou-lhe a palavra World para mostrar que o tema é global e que ninguém está a salvo de falhar. E fundou o World Failurists Congress, em finais de 2012, depois de ficar sem emprego.
É account na HiMedia há cinco anos e gosta do que faz. Mas tem pedacinhos do coração espalhados pela Índia, Camboja, por todos os lugares onde há crianças a precisar de ajuda. O seu grande sonho é dedicar a sua vida ao voluntariado.