Tempo para termos tempo

A CITE - Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego lança uma campanha de sensibilização para a partilha do tempo de cuidado e a divisão de tarefas domésticas, entre mulheres e homens, como forma de equilibrar a vida familiar e pessoal e a vida profissional. 

 No âmbito das comemorações do seu 40.º aniversário, que pretendem sinalizar as quatro décadas de progresso pela igualdade entre homens e mulheres no mercado de trabalho, a CITE – Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego lança uma campanha de sensibilização para a necessidade de se “falar sobre o tempo e sobre o usos que lhe damos.” A campanha “Tempo para termos tempo!” tem por objetivo comunicar que a partilha do tempo de cuidado e a divisão de tarefas domésticas, entre mulheres e homens, equilibra a vida familiar e pessoal e a vida profissional. 

A presidente da Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego, Joana Gíria, afirma em comunicado: “A conciliação da atividade profissional com a vida familiar e a necessidade de equilibrar os usos do tempo por mulheres e por homens entre o trabalho pago e o trabalho não pago de cuidado a outras pessoas e tarefas domésticas tem vindo a ser tema de análise, pela comunidade científica, com a participação de diferentes organizações a nível global. As Nações Unidas, através da Conferência Mundial sobre as Mulheres de Nairobi em 1985 e, em particular, da Plataforma de Ação de Pequim – aprovada na IV Conferência Mundial das Nações Unidas sobre as Mulheres, em 1995 – define os usos do tempo como uma das suas linhas de intervenção prioritárias.”

Em simultâneo com a campanha de sensibilização, a CITE recupera o livro Os Usos do Tempo de Homens e de Mulheres em Portugal, publicado  em 2016, que espelha um diagnóstico, com representatividade nacional, dos usos do tempo de homens e de mulheres em Portugal, no que respeita em particular ao trabalho pago e ao trabalho não pago de cuidado, com base nos resultados do projeto INUT-Inquérito Nacional aos Usos do Tempo de Homens e de Mulheres.