Sónia Calado: “Orgulho-me do que construímos a partir do zero”

Sónia Calado estava a terminar o curso de Gestão quando o então namorado a desafiou a lançar uma empresa de trading de moldes. A qualidade dos fornecedores não os satisfez e de intermediários passaram, rapidamente, a produtores. Começar com moldes complexos e a pensar nos mercados mais exigentes conduziu-os às principais marcas automóveis, onde hoje a DRT Moldes é uma referência.

Sónia Calado é co-fundadora e CEO da DRT Moldes.

A DRT Moldes é uma fábrica moderna. Tão moderna que, na receção, os clientes são surpreendidos com uma instalação que poderia estar em qualquer museu de arte de uma grande cidade europeia ou americana: um Volkswagen Carocha que parece afundado no chão. “Dizemos que a alma lhe subiu aos céus e levou as peças do Mini, a parte traseira do Porsche Macan, a tampa do motor do Rolls Royce, o espelho do Touareg, e a embaladeira do T-Roc”, descreve Sónia Calado, que fundou a empresa com o marido quando tinham, apenas, 23 e 24 anos, respetivamente. Esta explicação resume rapidamente algumas das marcas para as quais trabalham. Sónia Calado nunca pensou que a DRT Moldes atingisse a dimensão que tem hoje, mas a verdade é que, embora sem terem feitos grandes planos, nunca lhes faltou ambição.

Estrearam-se a trabalhar com o exigente mercado alemão e hoje fornecem as marcas de automóveis representadas no Carocha “afundado” na receção e também marcas de eletrodomésticos, como a Bosch ou a Miele. Em vez de terem seguido a tradição da Marinha Grande, e serem apenas mais uma empresa de moldes simples, desde o início que o objetivo foi distinguirem-se e apostarem em moldes complexos, que acrescentem mais valor e sejam mais dificeis de copiar.  

A DRT Moldes não é uma metalomecânica “cinzentona”; pelo contrário, nas novas instalações, com apenas seis anos, há cor e decoração onde menos se espera, e até um discreto mas agradável aroma no ar, na zona da receção. O objetivo é tornar agradável o dia de trabalho dos 135 colaboradores da empresa. O trabalho é complexo — um molde pode ter quase 2000 peças, que são depois montadas como se de um puzzle se tratasse —, usam-se as mais recentes tecnologias, e há tempo e oportunidade para o convívio. Sónia Calado trata os empregados pelo nome, almoça quase diariamente numa das várias mesas corridas da cantina, onde as cozinheiras são funcionárias da empresa para garantir a qualidade da alimentação, e onde se pode jogar uma partida de cartas depois da refeição, e mostra com orgulho fotos da festa anual da empresa, que é feita no início de fevereiro para brindar ao novo ano. 

Este ano, Sónia Calado foi reconhecida pela Câmara Municipal de Leiria pelo seu papel no desenvolvimento do concelho, mas defende que este reconhecimento é fruto do trabalho conjunto com o marido, que a desafiou a lançar-se como empreendedora quando ainda estava no último ano do curso de Gestão, em 1994.  

Leia a entrevista completa de Sónia Calado, e de mais nove empreendedoras, no livro O Sucesso Não Cai do Céu, de Isabel Canha e Maria Serina. Compre-o aqui.