Qual o seu perfil de investidora?

O primeiro passo para investir com sucesso é conhecer-se enquanto investidora. Mas, para que isso aconteça, deve primeiro responder a algumas questões.

As suas motivações para poupar ajudam a definir o seu perfil de investidora.

Quer comprar uma casa? Pagar as despesas escolares dos seus filhos? Comprar um carro? Ou apenas garantir que tem um complemento à reforma quando chegar a altura de desfrutar dos anos de descanso que tanto merece? Todos estes são objetivos legítimos para querer rentabilizar o seu dinheiro, mas são especialmente importantes porque definem de forma clara uma meta e, consequentemente, a ajudam a conhecer a quantia de que necessita. Este é o primeiro passo para clarificar o seu perfil de investidora. Um passo crucial para garantir que aplica o seu dinheiro num produto adequado às suas expectativas e necessidades.

Por exemplo, se procura um complemento à reforma, então provavelmente estará disponível para um investimento mais duradouro. Por outro lado, se pretende comprar um carro, então não deverá estar disposta a aguardar vinte anos, pelo que o seu investimento terá de ser diferente.

Tempo e dinheiro: sempre de mãos dadas

Certamente já ouviu a velha máxima do “tempo é dinheiro”. Também no mundo dos investimentos esta é uma ideia verdadeira, isto porque tanto um elemento como o outro são fulcrais para perceber qual é o tipo de investimento mais adequado ao seu perfil.

Em primeiro lugar, é importante que faça uma avaliação detalhada do seu dinheiro, incluindo rendimentos, gastos fixos, possíveis poupanças e, claro, o montante que tem disponível para investir. Só assim conseguirá ter uma real noção do capital que tem disponível para investir, evitando decisões precipitadas ou lapsos de julgamento.

Deve ter em conta que investir implica sempre abdicar temporariamente de algum do seu capital. Ao contrário do que se pensa, não é, contudo, necessário que seja uma quantia avultada – apenas aquela que acredita que não vai precisar num futuro próximo.

Por outro lado, os investimentos também obrigam a que tenha noção do horizonte temporal. Muito provavelmente o retorno não será imediato, pelo que tem de estar preparada para ter alguma paciência. O tempo será, aliás, o seu melhor amigo, na medida em que, regra geral, quanto mais duradouro é o investimento, maiores serão as probabilidades de obter ganhos mais avultados.

Conheça a sua tolerância ao risco

Todos os investidores procuram obter o máximo de retorno possível. No entanto, os resultados dependem da variável mais importante do investimento: o risco.

Na prática, o risco que está disposta a correr reflete a sua tolerância a possíveis perdas de capital, mas também quanto está disposta a arriscar para eventualmente conseguir um maior retorno. Através do preenchimento de um questionário de perfil de investidor – DMIF (Diretiva dos Mercados de Instrumentos Financeiros) – é possível concluir se se trata de uma investidora mais conservadora e com pouca tolerância ao risco, mais equilibrada ou mais dinâmica.

Adicionalmente, é muito importante que se informe ao máximo e que não se deixe levar pelas típicas “conversas de café” nem acredite em tudo o que ouve. Investir tem de ser uma decisão informada e nunca uma escolha às cegas. Mais do que confiar na sua intuição ou no que lhe é dito, deve procurar investir na sua própria literacia financeira e saber tudo sobre o investimento que está a fazer. Afinal, estar preparada para investir implica também estar preparada para aprender. E, na eventualidade de não ter disponibilidade (ou vontade) para gerir atentamente a sua carteira, saiba que também pode contar com o apoio de um consultor financeiro.