Prémio Excellens Oeconomia 2018, da PwC, distingue duas mulheres

Leonor Beleza, presidente da Fundação Champalimaud, foi distinguida como Personalidade do Ano, pelo Prémio Excellens Oeconomia, da PwC, numa cerimónia em Isabel Furtado também recebeu o prémio Empresa do Ano atribuido à TMG Automotive.

A 6.ª edição do Prémio Excellens Oeconomia, promovido pela PwC, distinguiu Leonor Beleza, presidente da Fundação Champalimaud, como Personalidade do Ano, e a TMG Automotive, também liderada por uma mulher, Isabel Furtado, foi eleita a Empresa do Ano.

O Prémio Excellens Oeconomia, uma iniciativa PwC que visa distinguir aqueles que contribuem para o progresso económico de Portugal, tem vindo a fomentar as melhores práticas e a distinguir as empresas e personalidades do mundo empresarial e económico, que de forma sustentada, contribuem para o progresso do nosso país. O prémio foi criado em 2013, num momento em que Portugal enfrentava um dos seus maiores desafios, e teve como missão estimular o mérito, a visão e a excelência, premiando aqueles que foram capazes de “navegar contra o vento”.

Nesta 6.ª edição, que entregou os prémios no final de maio, acabou por distinguir duas mulheres. Leonor Beleza, pelo seu trabalho à frente da Fundação Champalimaud, e Isabel Furtado, que recebeu o prémio em nome da TMG, que quadriplicou o volume de negócios desde que está sob a sua liderança.

Leonor Beleza fez inicialmente uma carreira na política, onde começou, em 1982, na Secretaria de Estado da Presidência do Conselho de Ministros e se despediu como ministra da Saúde, em 1990, foi escolhida por António Champalimaud para presidir à Fundação Champalimaud. Desde 2005 à frente dos destinos da Fundação, que é uma referência internacional na investigação do cancro, Leonor Beleza é uma das mulheres mais influentes de Portugal, segundo o estudo feito em exclusivo para a Executiva.

Isabel Furtado lidera, desde 2008, a TMG Automotive, empresa do grupo têxtil TMG, que produz tecidos plastificados e outros revestimentos de materiais para interiores de automoveis e emprega mais de 600 trabalhadores. Com uma quota de 18% no mercado europeu, a empresa fatura mais de 100 milhões de euros e entre os seus clientes estão a BMW, Mercedes, Volvo Cars, Opel, Toyota, Jaguar, Porsche ou Maserati.