Pessoas 2020 cria Conselho Consultivo

A associação sem fins lucrativos visa colocar o desenvolvimento das pessoas entre as prioridades das organizações portuguesas até 2020.

Isabel Canha, diretora da Executiva, é um dos 50 conselheiros da Associação.

O [email protected] – Fórum Pessoas e Organizações criou um Conselho Consultivo composto por 52 personalidades de relevo do meio empresarial e da sociedade portuguesa, com o objectivo de que apoiem a Associação na prossecução e divulgação da sua missão, valores e projectos em curso, bem como a alcançar outros objectivos estratégicos como, por exemplo, os estatutos de utilidade pública e de observador consultivo da CPLP – Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. Isabel Canha, diretora da Executiva.pt, é um dos conselheiros.

Na tomada de posse dos conselheiros, Manuel Sousa Antunes, presidente do [email protected], salientou que o que se pretende é “um Conselho Consultivo presente e actuante; conselheiros que nos ajudem a abrir portas, que nos auxiliem a ganhar e a criar marca; que estejam connosco para aportar valor e nos trazerem toda a experiência, conhecimento e sentido crítico necessário ao desenvolvimento de um projecto em prol dos profissionais, das pessoas, das empresas e da própria sociedade portuguesa”.

O Conselho Consultivo é composto por: Ana Loya, Ana Paula Martins, Ana Rodrigo Gonçalves, Ana Torres, António Saraiva, Bartolomé Duarte, Cândida Santos, Carla Rocha, Catarina Horta, Conceição Zagalo, Diogo Alarcão, Fernando Magalhães, Filipe Vaz, Filomena Cunha, Francisco Sanches-Osório, Isabel Canha, Isabel Neves, Isabel Viegas, João Atanásio, João Paulo Feijoo, João Vieira, Jorge Figueiredo, José Augusto Santos, José Miranda, Júlio Magalhães, Leyla Nascimento, Luís Almeida Carneiro, Luís Bettencourt Moniz, Luís Martinez, Luís Monteiro, Luís Roberto, Luís Vilar, Margarida Barreto, Mário Parra da Silva, Miguel Guimarães, Miguel Pina Martins, Miguel Portela, Nelson Pires, Nuno Abreu, Olga Benquerença, Oscar Herencia, Paula Cunha, Paulo Sardinha, Pedro Amorim, Pedro Dominguinhos, Pedro Jordão, Pedro Ramos, Ricardo Martins, Rita Nabeiro, Rosário Pinto Correia e Rui Alves.

Um ano de atividade

Desde que se constituiu como associação, a 28 de Outubro de 2016, o [email protected] já realizou um estudo científico no qual identificou os desafios que se colocam à gestão de Pessoas em contexto organizacional, em Portugal, procurando perceber se as organizações estão preparadas para lidar com esses desafios. Na sequência deste estudo, foi lançado o Quadro Estratégico para a Gestão de Pessoas em Portugal (QEGP), Quadro Estratégico esse que se pretende que tenha uma acção prática, no terreno. Para ser operacionalizado, foram criados grupos de trabalho dos quais fazem parte profissionais das mais diversas proveniências e saberes.

No domínio formativo, foram ciados os Care Programs, através dos quais o [email protected] pretende apoiar: os jovens e a respectiva inserção no mercado de trabalho; os profissionais experientes que, por qualquer vicissitude, saem do mercado laboral e cuja dificuldade em regressar se afigura cada vez maior; aqueles que terminam a vida profissional activa e cujo conhecimento e vitalidade continuam a ser desperdiçados, desperdiçando-os, tantas vezes, a eles próprios enquanto cidadãos úteis; e os gestores de PME, proporcionando-lhes mais e melhores competências, fazendo deles mais líderes e menos chefias.

A curto prazo, o [email protected] vai realizar o I Encontro do Cluster do Turismo, que, com o mais alto patrocínio do Instituto do Turismo de Portugal, reunirá, no próximo dia 25 de Janeiro de 2018, os stakeholders do sector para debaterem as pessoas e as lideranças no seu domínio de actividade específico.

O [email protected] – Fórum Pessoas e Organizações é uma entidade não-governamental, sem fins lucrativos, aberta à participação de elementos dos mais diversos quadrantes organizacionais, que surgiu da vontade de um grupo alargado de gestores, empresários, docentes, consultores e empreendedores, no sentido de colocar o desenvolvimento das Pessoas entre as prioridades das organizações portuguesas até 2020. Juntou-se à Associação Portuguesa de Ética Empresarial, host da agência United Nations Global Compact e Organismo de Normalização Sectorial para a Ética e Responsabilidade Social, no lançamento do Guia de Boa Governação para PME, que visa contribuir para a vantagem competitiva do tecido empresarial português, ao promover a adopção de mecanismos de boa governação e gestão do risco.