Paulo Neto: A atenção concentrada

Paulo Neto sobre a diferença entre concentração e atenção.

Paulo Neto, fundador da Building Bridges.

Texto de Paulo Neto, Coach ICF ACC , Team and Agile Coach, Facilitador e fundador da Building Bridges

 

Concentração e atenção são duas coisas diferentes e a capacidade de as distinguir é útil para o seu desempenho. Quando o envolvimento com uma actividade se torna intenso é provável que esteja em concentração. Isso pode acontecer quando uma conversa se transforma numa troca de pontos de vista ou quando se consultam informações no smartphone. Neste modo, toda a atenção foca num ponto, é como se o que se passa à volta não existisse perdemos a noção do todo.

Ao longo do tempo e sem que demos por isso, estes comportamentos vão-se cristalizando e passam a ser padrão, passam a ser ‘normais’. Entramos num ‘jogo’ que nos fecha sobre nós, sobre as nossas coisas e para sair dele é preciso que algo relevante aconteça. Este fechar pode fazer-nos perder a noção de inúmeras situações que se passam à nossa volta e pode conduzir a altos níveis de cansaço que apesar de todas as chamadas de atenção ignoramos… Quando embatemos com a realidade, que é o todo e não o ponto onde a nossa atenção concentrada está, somos ‘forçados’ a dar atenção ao que se passa à nossa volta.

A opção pela atenção concentrada é óbvia porque permite que no imediato o desempenho seja melhor. Contudo, se mantida como opção preferencial, conscientemente ou não, facilmente nos leva a perder a capacidade de estar atento, de estar alerta, de ver o todo. Arriscamos a clarividência a troco do desempenho, arriscamos pessoas a troco do resultado.

Também ao nível das organizações há consequências da atenção concentrada. A complexidade e incerteza do mundo actual exige capacidade de adaptação e de acção e por isso é preciso estar alerta para o todo. Quando o foco é colocado num aspecto particular, como por exemplo nos resultados, há o risco de passar ao lado das oportunidades que podem garantir o futuro. 

A concentração é obviamente uma qualidade, mas a capacidade de gerir a atenção de uma forma mais aberta e de acordo com a necessidade do contexto e do momento é muito importante.

Para aumentar a capacidade de estar atento, de estar alerta, de ver o todo, podemos cultivar três hábitos fundamentais:

. Pararencontrando momentos para sair da intensidade e da espiral que abraçámos permitindo perceber o que se passa à nossa volta;

. Escutaré uma forma poderosa de estar mais perto do todo e de criar melhores condições para estar atento;

. Energizarmanter bons níveis de energia, porque sem ela é provável acabar na atenção concentrada.