“O governo e os bancos não decidem o futuro das minhas empresas”

Quando a crise esfriou o negócio da Remax, a sua CEO decidiu transformar um velho sonho no projeto Motiva-te, para mudar a atitude das pessoas e a produtividade das empresas. Beatriz Rubio nunca baixa os braços e não permite que outros o façam. É uma verdadeira multitasking e adora o que faz.

Depois do sucesso em motivar a sua gente na Remax, Beatriz Rubio virou-se para outras empresas com a Motiva-te

É mais conhecida pela Remax. Mas Beatriz Rubio, para além de CEO da imobiliária (cargo que divide com o marido, Manuel Alvarez), tem outros afazeres e encarna na perfeição as sete vidas de um gato. O último é o projeto Motiva-te, que lançou em 2012, em plena crise económica e financeira, com as vendas de imóveis totalmente estagnadas. “Durante três meses não se vendeu uma única casa”, recorda. Para dar a volta à angustiante situação, Beatriz Rubio recorreu a uma paixão antiga: ajudar comerciais a atingir resultados de excelência.

Gasto metade da verba do marketing e publicidade no reconhecimento da minha gente

Nos últimos anos formou-se em coaching e mentoring e aplicou os conhecimentos à Remax, mas depressa teve convites para palestras motivacionais para outras empresas. A motivação ocupa-lhe cada vez mais o tempo, a par das suas outras empresas (Remax, MaxFinance, Melom, Querido Mudei a Casa), e gasta metade da verba destinada ao marketing e à publicidade em ações de motivação, “de reconhecimento da minha gente cá dentro”.

Beatriz admite que foi a crise que a pôs a pensar numa forma de dar a volta. E conseguiu. Há cerca de um mês ganhou mais um prémio, agora na categoria Mulher de Negócio, atribuído pela revista Máxima. No início desta semana deu outra palestra, desta vez para as coordenadoras da Remax Portugal. Com muita garra, energia e entusiasmo como sempre faz. Falou de gestão de emoções, de aprender a ultrapassar obstáculos, sair da zona de conforto, descobrir talentos. Beatriz Rubio vibrou com esta apresentação e a audiência não parou de aplaudir e concordar. Em entrevista à Executiva, a CEO da Remax fala-nos sobre este seu novo projeto.

O que é exatamente a Motiva-te?
É a empresa que lancei em 2012 para ajudar a Remax a superar as dificuldades do mercado imobiliário. É agora a minha grande paixão profissional porque é um projecto muito desafiante. A Motiva-te está focada nas mudanças comportamentais das organizações através de palestras, de coaching, e da gestão de equipas comerciais pelos métodos do reconhecimento e challenges.

Trabalhei muito para que agora algumas pessoas acabem comigo!

É a sua faceta menos conhecida?
Sim, mas já vou sendo reconhecida por este trabalho. Todos os negócios que criei foram para impulsionar a Remax (que nos últimos sete anos tem sido considerada marca Superbrand). Foi assim com a MaxFinance, com a Melom, com o Querido Mudei a Casa, e agora com o Motiva-te. Um ano depois de o ter lançado já tinha dado mais de 48 mil horas de formação em empresas e passaram por mim mais de 12 100 pessoas.

É uma pessoa muito polivalente…
Sou uma pessoa altamente criativa e com o dom de fazer com que os negócios sejam rentáveis, porque tenho muito foco nisso. Decidi que não ia deixar que o governo ou os bancos definissem o rumo das minhas empresas. Trabalhei muito para que agora algumas pessoas acabem comigo!

De onde retira a inspiração?
O meu filho de 10 anos dá-me cada lição de inspiração! Treino muitas palestras com ele e a forma como aplica o que ouve é entusiasmante. Mas eu estou sempre a tirar ideias para palestras. Até na recente graduação da minha filha. Inspiro-me muito nos filmes da Disney que vejo com os meus filhos.

E como descobriu a paixão pelas palestras?
Em 2009 comecei a apaixonar-me pela área ao ver que conseguia mudar as pessoas e isso levou-me a aperfeiçoar a minha formação. Estudei coaching e programação neurolinguística em Espanha. Durante três meses fui todos os fins de semana a Barcelona para isso, e paralelamente tinha os meus outros negócios. Depois fiz coaching em Portugal e assisti às formações do Anthony Robbins, em Londres. À força de tanto dizer aos vendedores da Remax “por favor, abstraiam-se da crise” tive de me abstrair também!

Eu descasco as pessoas, tiro-lhes a capa que as impede de sentir alguma coisa

Dá muitas palestras só para mulheres?
Cada vez mais quero fazer palestras femininas (não femininistas), dentro e fora da Remax. As mulheres aparecem muito menos e talvez sejam as que mais precisam, porque lidam com problemas muito particulares.

O que é preciso para os outros serem motivados?
Quererem ser motivados! E perceberem que os pensamentos geram emoções, que por sua vez geram resultados. Mas que está nas nossas mãos mudar o que pensamos. A partir daí está tudo feito. E eu tenho tantos exemplos de colaboradores que me abraçam a chorar quando vão receber um prémio ao palco!

E como ser um bom motivador?
Não fazer discursos decorados. Eu descasco as pessoas, tiro-lhes a capa que as impede de sentir alguma coisa, que as leva a dizer “tanto me faz”. Porque o problema é que acabamos por nos imunizar. Já consegui falar para audiências de 2 000 pessoas.

Nunca teve uma branca?
Não, talvez porque não decoro nada. Mas eu começo logo a brincar, por isso brincava com isso. Nas minhas palestras sejam bancários, engenheiros ou comerciais, todos começam por dançar para descontrair, quebrar juízos de valor, e perder o medo do ridículo. Julgamos muito e temos medo do que pensam de nós, o que nos impede de sermos autênticos, e assim não florescemos.

Trabalhei seis meses com a PT. Pediram-me crescimentos de 40% e eu consegui 53%

Já quase se pode considerar uma pop star…
Não tenho poses estudadas mas sei que sou conhecida por muitas pessoas. Ainda este fim de semana fui reconhecida pelo rapaz de um dos tuk tuks (carro para turistas) onde andava com a minha família. Também tenho feito muitas ações no Teatro Tivoli, que enche sempre. E fui à Argentina para uma palestra da Remax e de outras empresas de lá. Foram 10 dias de grande motivação. Esta é a minha grande paixão!

Também dá palestras fora do universo Remax?
Sim, por isso criei a Motiva-te. Já trabalhei durante seis meses com a PT, por exemplo, antes do lançamento do M4O, onde fiz um trabalho difícil para o canal door to door (com aqueles miúdos que à noite vão de casa em casa para vender o serviço). Pediram-me crescimentos de 40% e eu consegui 53%. Também trabalhei para o BES e para o BIC e em Setembro farei uma formação no Novo Banco.

Onde quer chegar com este seu projeto?
Quero mostrar que sou capaz de dar a volta ao problema de uma empresa. Mudar comportamentos para que as pessoas sejam produtivas e felizes. Adoro fazer isto! E adoro empresas felizes, descontraídas e divertidas, pois são mais produtivas também.

OS CONSELHOS DE BEATRIZ RUBIO

  1. Ultrapassar a limitação mental
  2. Apostar na diferenciação
  3. Não perder o foco
  4. Trabalhar de acordo com o dom pessoal
  5. Sair da zona de conforto
  6. Passar à ação (sonhos sem ação são mera ilusão)
  7. Sentir paixão pelo que faz
  8. Modificar o que pode ser modificado e não culpar sempre os outros
  9. Ter determinação e persistência
  10. Ser otimista