Como mostrar-se confiante quando se estreia num board

Não basta ser é preciso parecer, diz um ditado popular. Para que as mulheres que têm cargos de decisão sejam reconhecidas como tal, é preciso agir em conformidade com o estatuto que eles lhes conferem. Especialmente quando se é nova no cargo.

Nas primeiras reuniões é natural que seja o centro das atenções. Mostre-se confiante.

Em Portugal, as mulheres ocupam menos de 27% dos cargos de topo nas empresas, o que significa que a sua presença em reuniões de direção ou de conselhos de administração ainda é pouco frequente. Por essa razão, algumas ainda se sentem intimidadas quando participam pelas primeiras vezes nessas reuniões em que estão em clara minoria e não sabem como mostrar que merecem tanto estar ali como qualquer um dos homens na sala. A Inc publicou um artigo para estas mulheres, com cinco conselhos fáceis de pôr em prática e que vão fazê-las sentir-se mais confiantes no meio dos novos seus pares.

Crie uma presença forte

A primeira impressão continua a ser criada, na generalidade das situações, pela aparência, e não é diferente com as mulheres no mundo dos negócios. Aposte num look neutro – com o mínimo de acessórios, roupas que não revelem demasiada pele e que seja apropriado para o local de trabalho. O objetivo é que a sua aparência transmita a mensagem “escutem o que digo” e não “olhem para mim”. Isto não significa que restrinja o seu guarda-roupa a preto, cinza e azul escuro, como os seus colegas, mas é aconselhável que nas primeiras reuniões não deixe a impressão de que se preocupou mais com a roupa do que com aquilo que se vai discutir.

Uma atitude segura também impressiona pela positiva e mostra que controla a situação. Sente-se direita, ombros para trás e queixo para cima, e quando falar faça-o com uma voz firme e pausada.

Use o poder da hierarquia

As hierarquias continuam a ser muito eficazes para colocar cada um no seu lugar, sobretudo quando se é recém-chegado a algum grupo. Evite que a tratem pelo nome próprio se o normal entre os restantes membros é usar o “Dr.” e “Eng.” ou o nome próprio e apelido. Se os seus colegas administradores são o Paulo Saraiva ou o Dr. Luis Correia, não há nenhuma razão para que seja apenas a Clara, mas sim a Drª. Clara Moreira.

Também é normal que sejam os mais experientes a responder às perguntas mais difíceis, por isso não se iniba de tomar a palavra sempre que sabe a resposta a uma dúvida que foi lançada para cima da mesa. Desta forma, os seus pares vão habituar-se a vê-la como alguém experiente e que domina a sua área de conhecimento.

Não caia nos estereótipos de género

Alguns preconceitos estão tão enraizados que nem é fácil que as pessoas se apercebam deles, por isso há que evitá-los a todo o custo. Se a secretária da administração não atende o telefone e é preciso sair da reunião para ir buscar um dossier ou alguém sugere que se faça uma pausa para tomar um café, fique sentada na cadeira para resistir à tentação de resolver a situação. O simples gesto de servir cafés aos seus colegas leva a que inconscientemente olhem para si como a assistente e não como a administradora que está ao nível deles.

Mostre a segurança de um senior

Quando se atinge uma posição de topo há toda uma experiência profissional e de vida para trás que lhe dão uma confiança extra para analisar as situações com algum recuo e apontar soluções que os outros não conseguem ver. Alguns problemas só são novos para quem ainda tem poucos anos de experiência, por isso deve aproveitar estas oportunidades para mostrar que já passou por situações idênticas, quais os riscos que enfrentou, como as resolveu e o que aprendeu com elas. Esta é uma boa forma de reforçar o seu status entre os seus pares.

Ajuste o seu brilho às circunstâncias

Estas regras não devem ser aplicadas às cegas, mas sim ajustadas a cada situação. Imagine que tem um daqueles botões para ajustar a intensidade das luzes em casa e use-o nas diferentes situações. Use-o sempre que sentir que é necessário mostrar o seu poder – falando num tom de voz mais firme, mostrando uma postura corporal mais confiante ou referindo en passant uma situação difícil que tenha conseguido resolver no passado – ou que a sua mensagem será melhor aceite se mostrar que está mais próxima da sua audiência.