Morreu Evelyn Berezin, a criadora do processador de texto

Esta semana o mundo perdeu uma das pioneiras da computação. Evelyn Berezin, a mulher que criou e comercializou o primeiro processador de texto controlado por computador, morreu aos 93 anos.

Evelyn Berezin, a criadora do primeiro processador de texto. Foto: Computer History Museum/YouTube

Evelyn Berezin, a criadora do primeiro processador de texto controlado via computador, morreu no passado sábado, 8 de dezembro, vítima de um linfoma. É a ela que devemos a mesma tecnologia que utilizamos diariamente para escrever em programas como o Word ou para pesquisar a Internet.

Filha de imigrantes judeus de origem russa, nasceu no Bronx, em 1925. Extremamente precoce, terminou o ensino secundário aos 15 anos e ingressou em Economia, no Hunter College, em 1941, que na época era uma instituição exclusivamente feminina, e no Brooklyn Polytechnic Institute. Durante a Segunda Guerra Mundial e graças a um programa universitário que permitia que as mulheres ingressassem em escolas exclusivas para homens, Evelyn Berezin acabou por pedir transferência para a Universidade de Nova Iorque, onde se licenciou em Física, em 1946, e fez um doutoramento na mesma área. Contudo, apesar de ter terminado o plano de estudos, acabou por sair em 1950, antes de terminar as suas experiências doutorais.

Entre 1951 e 1957 trabalhou na Electronic Computer Corporation (EEC), onde aprendeu a criar computadores. Quando a EEC foi comprada pela Underwood Typewriter, em 1957, o desenvolvimento de computação da empresa foi abandonado e Berezin mudou-se para a Teleregister, onde criou um computador de escritório que fazia registos contabilísticos e outro que autonomizava o sistema bancário nacional. Mais tarde, ainda na Teleregister, desenvolveu o primeiro sistema computorizado de reservas de companhias aéreas, para a United Airlines, permitindo que o acesso a informações acerca da disponibilidade de lugares e as comunicações entre os escritórios da companhia espalhados por 60 cidades americanas acontecessem no espaço de um segundo.

Finalmente, em 1968, Evelyn Berezin começou a trabalhar num computador que processasse palavras, usando pequenos chips (circuitos integrados ou semicondutores) para gravar e armazenar teclas para edição de texto. Um ano depois, em 1969, Evelyn Berezin fundou a Redactron e criou o Data Secretary, a primeira máquina controlada por computador que permitia editar, apagar, cortar e colar texto sem ser necessário recomeçar do zero. Tinha o tamanho de um pequeno frigorífico, o seu teclado e impressora eram fabricados pela IBM, mas não tinha ecrã. Em 1976 a Redactron acabou por ser vendida a uma empresa de hardware, a Burroughs Corporations, na qual Evelyn Berezin permaneceu até 1979.

Entre 1980 e 1987 presidiu à Greenhouse Management Company, um fundo de capital de risco dedicado a empresas de alta tecnologia em fase inicial. Além de ter detido nove patentes relacionadas com computação, Evelyn pertenceu a conselhos de administração de diversas empresas e foi membro do Computer History Museum. Desde 2011 que fazia parte do Women in Technology Hall of Fame, que reconhece e honra mulheres que tenham contribuído nas áreas da ciência e tecnologia.