A melhor resolução de… Filipa Herédia

Em 2016, Filipa Herédia decidiu passar das ideias aos atos e tomou uma decisão que a atirou para fora de pé. Não foi propriamente uma decisão de carreira, mas já valeu à Corporate Affairs Manager da Mars Iberia o reconhecimento de vários mercados da multinacional.

Filipa Herédia é Corporate Affairs Manager na Mars Iberia.

Filipa Herédia é Corporate Affairs Manager na Mars Iberia, empresa onde está desde 2012.

“Sou sonhadora e otimista por natureza, mas, acima de tudo, movo-me pelo enorme desejo de inovar e concretizar ideias. É esta a filosofia que define a minha carreira e um dos principais, e mais recentes, exemplos disso é o “Eu Cuido”, um projeto educativo que vai às escolas do 1.º Ciclo do Ensino Básico falar sobre animais de estimação.

Inspirada na visão da Mars para a área de negócio petcare, que tem como mote “um mundo melhor para os animais”, na sua filosofia de motivar os Associados (como designa os seus colaboradores) a contribuir para a sociedade e impulsionada igualmente pelo meu papel como cidadã e como mãe, quis dar o meu contributo a uma área na qual ainda muito há a fazer, apesar dos avanços em matéria de bem-estar animal e da sã convivência entre eles e as pessoas.

Acreditando que uma peça fundamental é a educação, em meados de 2016, lancei-me assim neste desafio. Um desafio que, ao longo de meses, passou pela construção do conceito, pelo desenvolvimento dos materiais que servem de base às aulas “Eu Cuido” e que são entregues nas escolas, e pela angariação de uma vasta rede de parceiros e apoios. Acima de tudo, um desafio que, desde novembro de 2017, tem passado pela minha presença nas salas de aula como formadora e pelo gratificante contacto com crianças e professores.

De facto, posso dizer que o impacto na minha carreira não teve a ver com promoção ou alguma função nova. Teve, sim, a ver com o desenvolvimento pessoal, com a oportunidade de fazer a diferença, de impactar a comunidade e de sentir que o meu trabalho pode ser uma semente na educação sobre a convivência com os animais de estimação e para a mudança de comportamentos. Esta não foi decisão de carreira de forma consciente, mas acabou por resultar e ter o seu impacto positivo em termos profissionais.

Criar e concretizar o “Eu Cuido” foi um passo dado à margem de toda a agenda de trabalho que já existia e para a qual tive de continuar a dar resposta. Neste sentido, este projeto obrigou-me a fazer ainda mais, a sair da minha zona de conforto e explorar áreas totalmente novas para mim como, por exemplo, os métodos e práticas de ensino em sala de aula, uma vez que assumi também o papel de formadora em sala de aula. O “Eu Cuido” tornou-se especialmente relevante porque é a prova de que aprendemos muito e crescemos, quando nos arriscamos em águas que não conhecemos.

Os resultados práticos traduzem-se numa enorme aceitação e reconhecimento. Em termos internos, fui nomeada pela Mars para um prémio local “Best Version”, sendo que agora vou apresentar o projeto a nível europeu num programa de reconhecimento global “Mars – Make the Difference”, e foi já demonstrado o interesse de vários mercados Mars em implementar o projeto. Estes resultados refletiram-se também na adesão dos Associados da Mars, que de forma proativa e voluntária, têm querido levar também este projeto às escolas como formadores “Eu Cuido”.

Em termos externos, os resultados traduzem-se nos parceiros que se têm juntado ao projeto como são exemplo a Ordem dos Psicólogos, a PSP e a GNR. Traduzem-se também nos mais de 5500 alunos e quase 300 professores que contactaram com as sessões “Eu Cuido” e, mais que isso, nos milhares de sorrisos e bons momentos de aprendizagem que tem vindo a proporcionar.

Confesso que estou muito orgulhosa por ter conseguido materializar este projeto e muito grata a todos a que ele aderiram e se juntaram ativamente nesta missão.”

 

Leia mais resoluções de executivas portuguesas aqui.