O meu maior desafio: Luisa Lopes Gueifão

Lidera um dos três domínios que mais cresce de forma consecutiva na Europa. E apesar de tudo ter começado em plena época da internet, ainda houve quem considerasse que uma mulher não conseguia ser o rosto do .PT.

Luisa Lopes Gueifão é presidente do Conselho Diretivo do .PT.

Luisa Lopes Gueifão tem um percurso profissional de mais de 25 anos, a maioria dos quais, ligados à sociedade da informação e desenvolvimento de projetos digitais. É atualmente presidente do conselho diretivo do .PT, entidade responsável pela gestão do domínio de topo nacional de Portugal, .pt.

Licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, fez parte de vários grupos nacionais e internacionais para o desenvolvimento da Sociedade da Informação, tendo sido uma das responsáveis pelo projeto Açores, Região Digital. Foi também membro da Missão para a Sociedade da Informação, sócia fundadora da APDSI e do ISOC Portugal Chapter, entre outras associações, e uma das promotora da LUSNIC – Associação dos Registries de Língua Portuguesa.

Desde a sua criação, e com Luisa Gueifão na liderança, o .pt é um dos três domínios que mais cresce de forma consecutiva na Europa. Em 2018, ano em que se assinalaram os seus 30 anos, o .pt atingiu um marco histórico de domínios registados ao contabilizar 107 850 novos registos diretos em .pt, tornando 2018 o melhor ano de sempre. Até à data, foram registados em .pt mais de 1 milhão de domínios.

“Diretora do registo de nomes de domínio .pt desde 2000, depois de mais de 10 anos a trabalhar no desenvolvimento da sociedade da informação no Governo Regional dos Açores sob a liderança do então Presidente do Governo Regional, Carlos César, pensava que o Projeto Açores Região Digital, o desafio do Bug do ano 2000 ou a automatização do registo de domínios em .pt eram desafios suficientes para mim. Eis que 2013 chega e surge o maior desafio da minha carreira: criar a entidade responsável pelo registo de nomes de domínio .pt, após a extinção da FCCN, e assumir com mais 13 pessoas os destinos do .pt, o domínio de topo de Portugal na Internet.

O primeiro desafio: saber se as outras 13 pessoas que trabalhavam para o .pt estavam comigo e abraçavam o futuro incerto. Ninguém olhou para trás!

Segundo desafio: ter connosco a bordo o governo português via Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), os consumidores via DECO e as empresas da Economia Digital via Associação da Economia Digital (ACEPI) num projeto ambicioso: fazer crescer o .pt e acreditar. Todos acreditaram!

Era o momento de trabalhar, construir e ultrapassar as muitas pedras que no caminho se iam encontrando porque havia quem ainda teimasse em fazer o papel de ’velho do Restelo’ e achar que uma mulher não podia, não conseguia, não deveria ser o rosto do .PT.

Assumir a liderança do .PT em 2013, e crescer mais de meio milhão de domínios em 6 anos, ao duplicar o número existente, diversificar o que fazemos, aprofundar a resiliência, a segurança e a fiabilidade dos sistemas, garantir a sustentabilidade do .PT e ser um ator importante no desenvolvimento das competências digitais em Portugal, são conquistas que todos juntos alcançámos e que como líder não podia estar mais orgulhosa, ciente do muito que foi feito e do tanto que ainda há por fazer.

Seis anos volvidos do maior desafio da minha carreira, com todas as dificuldades inerentes ao percurso e grandes perdas familiares, posso dizer que as pessoas que fazem parte da nossa equipa, os nossos parceiros e stakeholders dizem tudo sobre a nossa liderança. O líder é aquilo que a sua equipa permite que seja e eu tenho tido a enorme e grata possibilidade de trabalhar com profissionais muito competentes e excelentes que acreditam e participam nos destinos do .PT, tornando-o num espaço onde cabe um Portugal maior.

Sem os nossos parceiros que sempre acreditaram em nós e continuam a dar-nos o seu apoio, não seria possível ser líder do .PT.

A exigência destas funções faz-nos aceitar perder datas familiares importantes, faltar aos cuidados que os mais velhos nos pedem, ao prémio de mérito de um filho ou àquele concerto que nunca mais teremos oportunidade de assistir, mas também é sinónimo de exigência e gratidão pelas conquistas de tantos outros.

Se este foi o maior desafio da minha carreira, acredito que não será o último. A vida já me ensinou, em termos profissionais e pessoais, a combater as adversidades e a acreditar sempre no melhor, dando sempre mais de mim, nesta característica que nasceu comigo: otimista com o futuro, as pessoas e o mundo.

Fazer do .PT uma referência nacional e internacional é um objetivo que juntamente com a minha equipa e parceiros vai continuar a ser o mote deste enorme desafio que lidero desde 2013.”