O meu maior desafio: Daniela Simões

A administradora das áreas de Business Development, Subcontratação e Recursos Humanos da Luís Simões, revela qual foi momento mais desafiante da sua vida profissional, que a forçou a sair da sua zona de conforto.

Daniela Simões, administradora da Luís Simões.

Daniela Simões, 43 anos, é administradora das áreas de Business Development, Subcontratação eRecursos Humanos e 3ª geração da Luís Simões, empresa familiar, de origem portuguesa, líder no mercado de fluxos rodoviários na Península Ibérica. É licenciada em Gestão de Empresas pela Universidade de Évora, tem um Executive MBA pela AESE/IESE, um Programa de Direção de Empresas Familiares pelo IE Business School, e um programa de Alta Direção da Cadeia Agroalimentar (ADECA) pela San Telmo Business School. Decidida e objetiva  trabalha diariamente para concretizar os objetivos e os resultados a que se propõe. Neste depoimento, partilha com as leitoras da Executiva qual foi o momento mais desafiante da sua carreira.

 

“Quando me perguntam qual foi o meu maior desafio profissional, começo por relembrar o início da minha carreira. Tirei o curso de gestão e até 2007 o meu percurso profissional foi desenvolvido na área financeira. Comecei a trabalhar em auditoria financeira na PriceWaterhouseCoopers onde estive três anos e meio. Em 2002 iniciei o meu percurso na Luís Simões na área de controlo de gestão, com a responsabilidade de implementar uma ferramenta de Business Inteligence com enfoque em indicadores financeiros. Em 2004 assumi a direção de Controlo Financeiro, onde fazia a análise de crédito de clientes, a gestão de todos os pagamentos, gestão bancária e captação de financiamentos para todas as empresas do grupo.

Em 2007 assumi a Direção de Serviços Partilhados em Espanha, com a responsabilidade da gestão da equipa de Recursos Humanos, Compras e Qualidade. E em 2011 assumi a Direção Ibérica dos Serviços Partilhados, acumulando também a gestão da equipa financeira. Em 2015 foi novamente um ano de mudanças no qual me foi atribuída a pasta da área de logística em que o desafio consistiu em definir a estratégia em coordenação com o diretor geral, assegurando a harmonia com as outras áreas de negócio da Luís Simões e consequentemente dar seguimento aos resultados.

2016 trouxe um novo desafio: a criação da área de Business Development comum para os negócios de Transporte e Logística com o objetivo de harmonizar a abordagem comercial da Luís Simões ao mercado e gerar maior dinâmica.

Em 2017 aceitei liderar uma nova área de subcontratação comum para os negócios de Transporte e Logística com o objetivo de sistematizar e estruturar a relação da LS com os Transportadores que contrata habitualmente.

“Propuseram um projeto em Espanha, que nada tinha que ver com a minha experiência.”

Foram mais de 15 anos de aprendizagem e de desafios constantes e enriquecedores, mas quando penso no que terá sido o meu maior desafio ao longo de todos estes anos, recordo-me imediatamente quando em 2007 na Luís Simões me propuseram o projeto em Espanha, que nada tinha a ver com a minha experiência profissional: criar de raiz os serviços centrais corporativos de suporte aos negócios de Transporte e Logística em Espanha. Este desafio exigiu-me sair completamente da minha zona de conforto, seja  porque a nível profissional teria de criar a partir do zero uma área de Recursos Humanos, Compras e Qualidade, seja também pela perspetiva pessoal, uma vez que fui viver sozinha para um país diferente, para uma cidade onde apenas conhecia alguns colegas de trabalho e onde estava deslocada, sem família e sem amigos.

Para abraçar este desafio ponderei vários aspetos. Por um lado, o profissional: a necessária aprendizagem sobre as três áreas a criar; o aumento de conhecimento sobre o negócio que a Luís Simões tinha em Espanha e que serviços faziam sentido disponibilizar a este negócio. Ponderei também o aumento de conhecimento que me iria proporcionar um país diferente, uma cidade cosmopolita como Madrid, e um idioma que já conhecia, mas que estava por desenvolver. E claro, a perspetiva pessoal, talvez a mais difícil de todas. Já vivia sozinha há vários anos, mas rodeada do núcleo familiar e de amigos que eram para mim um suporte importante. Neste novo desafio assumi um salto sem rede, sem família nem amigos por perto, era só eu sete dias por semana, com visitas pontuais a Portugal para recarregar baterias.

“Concentrei-me no trabalho que tinha pela frente e no compromisso que assumi perante a Luís Simões de cumprir o projeto em três anos.”

Nesta fase concentrei-me no trabalho que tinha pela frente e no compromisso que assumi perante a Luís Simões de cumprir o projeto em três anos.
A minha família teve um papel muito relevante, pois sempre me deu o suporte de que precisava e esteve presente nos momentos críticos. A minha equipa em Madrid fez toda a diferença, demonstrando uma entrega ao projeto que o permitiu concretizar com sucesso.

Estou certa de que hoje o desenvolvimento da Luís Simões em Espanha muito se deve ao esforço de todas as pessoas que ao longo do tempo fizeram parte desta equipa.É caso para dizer “Juntos vamos mais longe… até onde for o futuro”!