O meu maior desafio: Catarina Heleno

Catarina Heleno, Executive Education Manager da AESE Business School, fala-nos da fase mais desafiante da sua carreira: a mudança para Barcelona, onde integrou os quadros daquela que é considerada a melhor escola do mundo em formação executiva, a IESE Business School.

Catarina Heleno, Executive Education Manager e responsável pelo Career Management Center na AESE Business School

Catarina Heleno é Executive Education Manager e responsável pelo Career Management Center na AESE Business School, desde 2017, depois de ter desempenhado funções nos últimos 7 anos no IESE Business School, em Barcelona.

Começou a sua carreira em 1993,no departamento financeiro do Grupo Vidago, Melgaço & Pedras Salgadas, tendo desenvolvido um percurso profissional em distintas empresas do grupo, assumindo responsabilidades como controller e, mais tarde, um projeto no setor imobiliário. Em 2009 rumou a Espanha, abraçando uma nova oportunidade no IESE Business School, diversificando a sua experiência, assumindo novas responsabilidades na IESE Alumni Association.

Tem formação de base no Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa – ISCAL, uma Pós-Graduação em Controlo de Gestão e Performance pelo ISCTE, um Master em Marketing, Comércio e Distribuição pela Universidade Autónoma de Barcelona – UAB e um Programa de Desarrollo Directivo (PDD) pelo IESE Business School.

 

O meu maior desafio aconteceu em 2009, quando surge a mudança para Barcelona. Foi uma decisão familiar, mas que, pessoalmente, me obrigou a sair da minha zona de conforto. Encarei como uma nova oportunidade, pessoal e profissional. Como mãe, ao acompanhar a minha filha de 1 ano a entrar na “guardería”, a vê-la crescer e a falar em catalão. Como profissional, na procura ativa de um projeto profissional desafiante, alargando a minha rede de networking, através do envolvimento nas iniciativas locais e da formação em diferentes áreas.

O que sem dúvida se revelou mais difícil, foi o contexto familiar, devido a uma situação de saúde bastante complexa. Encarámos como mais um desafio e que, graças a Deus, foi superado com êxito. Foi neste momento que sentimos a falta do aconchego da família e dos amigos. A saudade apertou. Mas vencemos este obstáculo, crescemos e aprendemos a gerir as adversidades, em família, com humildade, coragem, dedicação e persistência.

Foi ao mesmo tempo desafiante pela adaptação ao contexto local, ao idioma e ao novo projeto profissional que, entretanto, surgiu. Tive a oportunidade de incorporar os quadros do IESE Business School, número um no ranking do Financial Times, reconhecido mundialmente, com uma comunidade de mais de 48 mil antigos alunos e com 15 escolas associadas (em Portugal, a AESE Business School).

A adaptação à cultura da escola, a aprendizagem do modelo de negócio e a diversidade de áreas de atuação foram, sem dúvida, um grande desafio. Uma experiência marcante quer pessoal, quer profissionalmente, crucial para o meu futuro. Futuro este que me fez regressar a Portugal, com excesso de bagagem – de amigos, de aprendizagens, de momentos e experiências muito enriquecedoras, de mundo.

Recentemente na AESE, tenho o privilégio de partilhar a minha experiência, o que me permite acompanhar os Alumni da AESE que pretendam apostar na progressão da carreira e, eventualmente, numa trajetória internacional, avaliando os riscos e as oportunidades desta evolução.