Helena Vieira: três startups na bagagem

Depois da Bioalvo e da My.Skinmix, Helena Vieira continua a empreender, desta vez com a UAU Homes, da qual é co-fundadora. Na Conferência Empreendedorismo Feminino, vai partilhar a sua experiência no mundo dos negócios.

Helena Vieira fundou a Bioalvo, a My.Skinmix e a Uau Homes.

Dizem que não há duas sem três. Pelo menos, foi assim para Helena Vieira. Tudo começou em 2002, em Londres, quando Helena Vieira, então com 26 anos e na fase final do doutoramento, foi surpreendida por um e-mail de um amigo acerca de um concurso de ideias, o Bioempreendedor Ibérico. Decidiu arriscar. Juntou um grupo de amigos e conhecidos e candidataram-se com a ideia de usar levedura para criar medicamentos capazes de curar doenças neurológicas (como Alzheimer e Parkinson), e com a qual ganharam. Após vários concursos ganhos e planos de negócios refeitos, apresentaram o projeto a uma sociedade de capital de risco portuguesa, a PME Investimentos, que lhes ofereceu 1,3 milhões de euros em troca de 48% do capital da empresa, a Bioalvo, que só veio a nascer mais tarde, em 2006, com Helena Vieira a assumir funções de CEO.

Em pouco tempo registaram várias patentes e tiveram potenciais clientes interessados em fazer parcerias. Depois do primeiro ciclo de desenvolvimento, precisavam de mais dinheiro para continuar e falaram com mais de 120 investidores em todo o mundo. Contudo, a crise de 2008, nos Estados Unidos, fez com que os acordos que tinham com duas capitais de riscos caíssem por terra. Para ultrapassar este impasse, dedicaram-se, nos três anos seguintes, à exploração de recursos marinhos recolhidos no fundo do mar português, que eram depois utilizados nas indústrias farmacêutica, cosmética, têxtil e alimentar. Ainda conseguiram desenvolver uma espécie de “botox”, que prometia revolucionar o mundo da cosmética, mas quando o maior acionista da empresa decidiu vender a sua participação, a Bioalvo foi forçada a encerrar, em 2013.

“Felizmente, hoje, já existem vários eventos que promovem e dignificam o empreendedorismo feminino. A Executiva deu um grande contributo inicialmente para que este tema esteja na agenda diária da sociedade portuguesa.”

Sem a Bioalvo, Helena Vieira decidiu dedicar mais tempo à sua filha e ainda se candidatou às principais consultoras, mas acabou por desistir e voltar à sua carreira de docente na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, posição que mantinha desde 2008. À procura de um novo projeto, desafiou uma das suas ex-alunas de mestrado a criar um projeto de cosmética personalizada (que viria mais tarde a chamar-se My.Skinmix). Concorreram, ganharam, mas nunca chegaram a receber o investimento que lhes era devido. Contudo, tal não foi um impedimento e decidiram, juntamente com um investidor, avançar com a My.Skinmix. Investindo apenas o que ganhavam com as vendas, não perderam dinheiro durante dois anos, mas também não conseguiam ganhar muito. Ainda tentaram com outros investidores, mas as exigências não eram compatíveis e aperceberam-se que o mercado já começava a ter produtos semelhantes, por isso antes que o negócio desse para o torto, decidiram encerrar a My.Skinmix, no final de 2017.

Recusando-se, novamente, a baixar os braços, Helena Vieira virou-se para a UAU Homes, projeto que começara após o encerramento da Bioalvo. Na época, a empreendedora fora desafiada a redecorar uma das duas casas do pai de um amigo para depois a arrendar. Fez um curso de home staging e decoração, redecorou a casa e no primeiro ano o rendimento quase sextuplicou. Helena Vieira e o amigo tornaram-se sócios e proposeram tratar da gestão de ambas as casas, bem como das reservas, das comunicações com os clientes e da logística de limpezas, e conseguiram que o rendimento voltasse a aumentar. Em 2018 já geriam três casas em Lisboa, uma em Tróia e outras em várias cidades do Algarve. Helena Vieira mantém a sua carreira académica como atividade principal e considera a Uau Homes “a minha empresa da reforma”.

Na Conferência Empreendedorismo Feminino, a empreendedora será oradora na mesa redonda “O sucesso não cai do céu: da luta ao crescimento”. “Felizmente, hoje, já existem vários eventos que promovem e dignificam o empreendedorismo feminino. A Executiva deu um grande contributo inicialmente para que este tema esteja na agenda diária da sociedade portuguesa”, afirma a CEO da UAU. “Hoje em dia a Executiva continua a ter o seu papel, mas fico feliz por não ser a única a fazê-lo”, salienta Helena Vieira, que partindo da sua maior lição enquanto empreendedora, deixa uma mensagem: “Falhar não é o fim do mundo”.

A Conferência Empreendedorismo Feminino realiza-se a 21 de março, entre as 9h e as 13h, na Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, em Lisboa.

Conheça o programa e garanta já o seu lugar aqui.

PROGRAMA

9h15 BOAS VINDAS

De jornalistas a empreendedoras: o que aprendemos em 4 anos

Isabel Canha e Maria Serina, fundadoras do Executiva.pt

9h30 TALKS

9h30 A situação e os desafios do empreendedorismo no feminino

Teresa Fragoso, presidente da CIG 

9h45 O novo mundo do trabalho: como recrutar as pessoas certas

Carla Rebelo, diretora-geral Adecco Portugal

10h00 Os segredos de um bom plano de negócios

Bárbara Barroso, fundadora Money Lab

10h15 Os aspetos legais que deve saber antes de criar a empresa

Ana Sofia Baptista, sócia Abreu Advogados

10h30 O que deve, e não deve, esperar dos investidores

Isabel Neves, presidente Lisbon Business Angels Club

10h45 Co-creating your business

Diogo Romão, CEO Monday

11h00  COFFEE BREAK

11h30  MESA REDONDA

O sucesso não cai do céu: da luta ao crescimento

Helena Vieira, fundadora e CEO UAU Homes

Filipa Munoz de Oliveira, fundadora e CEO Wink

Margarida Almeida, fundadora e CEO Amazing Evolution

Sara do Ó, fundadora e CEO Grupo Your

Helena Rodrigues, fundadora e CEO da Allby

12h30 FIM