Trabalho, família, sono, amigos ou exercício: escolha 3

Destes cinco grandes pilares para uma vida equilibrada algo tem de ficar de fora, diz Randi Zuckerberg, empresária e irmã do CEO do Facebook.

"Se eu tiver que escolher, será a família, o trabalho e o sono, o que é um pouco triste", admite a empresária Randi Zuckerberg.

Randi Zuckerberg acredita que as mulheres empreendedoras ou em cargos de liderança podem ter quase tudo. “Quase” porque, apesar de defender que é possível ter uma carreira ou empresa e conseguir tempo para a família, na verdade ele não dá para muito mais do que isso.

A propósito deste eterno problema de conciliação, a fundadora e CEO da Zuckerberg Media e ex-diretora de desenvolvimento de mercado do Facebook (sim, o nome é mesmo de família; Randi é irmã de Mark) expôs o dilema que aflige muitas empreendedoras como ela, num tweet: “Manter as amizades. Construir uma empresa excelente. Estar com a família. Manter-se em forma. Dormir. Escolha 3.”

Em entrevista ao site Meet the Boss, Randi admite que se apercebeu há pouco tempo de que “não estava a ser grande amiga”, e não porque fosse má pessoa mas porque as suas prioridades, infelizmente, tiveram que mudar. “Não é só um dilema das empreendedoras, é de toda a gente. Mas se tiver que escolher, para mim será a família, o trabalho e o sono, o que é um pouco triste.” A empresária revelou ainda que a sua seleção era comum a grande parte das mulheres que responderam ao tweet. Os amigos apareciam em último lugar, atrás do exercício.

Muitos empreendedores concordam com Randi Zuckerberg, salientando que não há como fugir a essa equação: para dar tudo por tudo nos primeiros anos de uma empresa é preciso fazer sacrifícios pessoais grandes.

Há, no entanto, quem discorde. David Heinemeier Hansson, co-fundador e CTO da empresa de desenvolvimento de aplicações, Basecamp, já escreveu até dois livros sobre gestão de tempo e produtividade: “Rework” e “Remote: office not requiered”, ambos na lista de best-sellers do New York Times. Afirma que consegue dedicar-se a todas as necessidades da empresa em apenas 40 horas semanais. “O meu argumento é que quase tudo pode ser conseguido nesse glorioso montante de tempo. Mas não se o desperdiçar em reuniões, em multitasking e em problemas mal definidos. Não há limite para a quantidade de tempo que se pode perder com tudo isso.”