O doce sucesso de Bubu Andres

Rosemarie “Bubu” Andres, testemunha os benefícios de pertencer à Entrepreneur's Organization (EO). Sem o apoio da maior comunidade internacional de empresários, provavelmente não teria conseguido reconstruir o seu negócio de doces.

Rosemarie “Bubu” Andres, presidente do Global Board da Entrepreneur's Organization, co-fundadora co-fundador e diretora geral da Snapsnack Foods Corp., e CFO da Global Beer Exchange.

Em 1999, a tragédia atingiu o negócio de Rosemarie “Bubu” Andres e do seu marido, Ricky. Em apenas três anos, a cadeia tinha 32 lojas de doces em centros comerciais, e registava um rápido crescimento, o que exigia um armazém de maior dimensão. Apenas uma semana depois da inauguração, um incêndio numa fábrica têxtil vizinha propagou-se à instalação logística da Candy Corner, queimando equipamento, stocks e importantes documentos no valor de 9 milhões de pesos filipinos. Como a documentação com a seguradora ainda estava a ser processada na altura do acidente, a companhia não ressarciu este prejuízo.

Foram tempos difíceis, mas o casal conseguiu reconstruir o negócio, graças ao stock existente nas lojas e ao crédito de fornecedores. Hoje a Candy Corner é um conjunto de 100 lojas em todo o território filipino, a preparar-se para a expansão para outras geografias. Para Babu Andres, foi decisivo o apoio dos seus pares no fórum de membros da Entrepreneur’s Organization (EO), a maior comunidade internacional de empresários. Esta organização conta com mais de 13 mil membros espalhados por 188 núcleos em 58 países, cuja missão é dar aos empreendedores uma rede de networking e partilha de experiências capaz de promover a aprendizagem entre pares e de alavancar negócios.

Rosemarie “Bubu” Andres juntou-se à Entrepreneurs Organization (EO) em 2001, deixando uma marca indelével em todos os níveis da organização, tanto como membro da EO Filipinas, como no desempenho de várias posições de liderança. A 1 de julho de 2018, chegou a presidente do Global Board para o biénio 2018/2019. Durante os anos em que desempenhou funções de Diretora do Global Board, preocupou-se em melhorar a comunicação organizacional, promover maior interação entre as regiões e incentivar o recrutamento de mais mulheres empresárias, com vista a aumentar a diversidade e o valor da rede.

Bubu Andres, que é ainda CFO da Global Beer Exchange, esteve em Portugal para a Entrepreneur’s Organization University, conferência organizada pela EO que reuniu, no hotel Hotel Miragem, em Cascais, centenas de empreendedores de todo o mundo.

 

Qual é a sua missão enquanto líder da Entrepreneur’s Organization (EO)?
Introduzi na EO o conceito filipino de Bayanihan. Nas zonas rurais das Filipinas, quando uma família se muda, a sua casa muda-se com elas. Bayanihan é o ato de uma aldeia se reunir para ajudar uma família a mudar a sua casa. É o espírito das pessoas unindo-se, entreajudando-se, sem esperar nada em troca. A EO tem mais de 14 mil membros em 188 “capítulos” e 58 países, mas através da EO tornamo-nos Um, experimentando a mesma “unidade na comunidade”, que representa o conceito de Bayanihan.

Quais as principais mudanças que introduziu quando assumiu a liderança da EO?
Trabalhei para criar uma associação diversificada e unida e também consegui tornar a EO mais orientada para a família. Agora, os cônjuges, parceiros de vida e filhos adultos de membros podem participar em certas atividades, oportunidades de formação e eventos sociais. Além disso, eles podem participar dos Fóruns da EO, pequenos grupos em que os pares podem estabelecer ligações e partilhar experiências. Eu estava empenhada em mostrar que a EO dizia respeito ao empreendedor como um todo, e não apenas ao seu negócio.

Existem programas específicos para mulheres na EO? O que a organização pode fazer para promover a paridade de gênero?
As mulheres empreendedoras são tratadas como iguais na EO. Temos um grupo de interesse especial, o Women of EO, que tem constituído um grande recurso para as mulheres que lidam com os problemas enfrentados pelas empresárias. A organização tem trabalhado arduamente para atrair mais mulheres – e tem tido sucesso! E no ano passado, a EO pode gabar-se de ter uma CEO e uma presidente.

Pode dar-nos um exemplo do poder da rede EO?
Há alguns anos, um colega da EO Filipinas enviou uma mensagem ao nosso escritório local, pedindo ajuda. A sua tia, que estava de férias em Fukuoka, no Japão, de repente desmaiou e ficou inconsciente. Ela foi levada às pressas para um hospital próximo, mas ninguém sabia falar inglês.As filiais das Filipinas, Tóquio e Osaka reuniram-se para encontrar uma maneira de ajudar. O Presidente da EO Fukuoka veio ao hospital para ajudar a traduzir, facilitou a comunicação e até ajudou a transferi-la para um hospital melhor.No ano passado, a organização uniu-se para ajudar os nossos membros da Nicarágua a lidar com a crise no seu país. A ajuda veio não apenas dos nossos membros da América Latina, mas também dos membros americanos e canadianos. Chegaram até a abrir as suas casas para filhos de outros membros, quando não era seguro permanecer na Nicarágua.Outro membro da EO, Vishal Chordia, exemplifica o impacto social da sua missão de capacitar artesãos e empreendedores na Índia rural. Ele oferece-nos um exemplo poderoso de construção de comunidades e empreendedorismo sustentável. Ele liderou uma delegação de artesãos e empreendedores rurais através de 5 mil quilómetros e 20 distritos, ao longo de 75 dias, para encontrar pessoas comuns e reintroduzi-las em atividades de artesanato. Devido a essa jornada, milhares de pessoas apoiaram o comércio local, com efeitos positivos na vida de muitos artesãos (incluindo mulheres). Os seus esforços revigoraram as economias de múltiplas áreas rurais e impactaram positivamente as vidas de mais de 200 mil pessoas de grupos de baixo rendimento. Eu poderia continuar – há tantas histórias que ilustram o poder da rede EO.