Diogo Romão: Ouvir os clientes e envolvê-los na criação de soluções

O CEO da Monday Interactive acredita que os negócios podem começar com uma abordagem mais próxima das necessidades dos clientes, garantindo mais hipóteses de sucesso. Na Conferência de Empreendedorismo, Diogo Romão vai falar-nos de business design e experience design.

Diogo Romão é CEO da Monday Interactive.

E se construísse o seu negócio, desde a base, com os seus clientes como verdadeiros parceiros na orientação dos processos de trabalho, personalizando os produtos e serviços que lhes vai prestar, em aproximação estreita? Parece uma conclusão óbvia, mas na maioria dos casos, a aproximação ao cliente é feita numa lógica diferente, em que a empresa lhe lança o pitch daquilo que já faz ou pretende fazer. Mas se é para eles que vai produzir, faz sentido que sejam as necessidades dos clientes a orientarem o seu caminho empresarial, estratégia e design de soluções.

É nisto que acredita Diogo Romão, CEO da Monday Interative, uma consultora que atua nas áreas de consultoria de business design e experience design, que nos vai falar sobre esta questão na Conferência Empreendedorismo Feminino, numa intervenção intitulada ‘Co-creating your business’. “Hoje, na construção de uma start-up é importantíssimo seguir metodologias de business design e experience design. Tratam-se de ferramentas e mecanismos que nos permitem pensar de forma muito estruturada no modelo de negócio da empresa, nos clientes, nas suas dores e necessidades. Podemos até ter uma ideia de negócio e achamos que aquilo que os nossos clientes querem é esta ou aquela solução, mas nesta abordagem, em vez de termos a nossa visão parcial, ouvimo-los verdadeiramente e trazemo-los para mesa de trabalho. Muitas vezes, os clientes partilham não só os problemas que querem ver resolvidos e aquilo de que não gostam, mas também aquilo de que gostam, o que nos permite perceber os ganhos que podemos ter com o nosso negócio. Quando conseguimos fazê-lo, quer falemos de negócios B2B ou B2C, então sabemos que estamos no caminho certo.”

E não são apenas as start-ups que, assim, podem ver o seu caminho facilitado. “Até para uma empresa que esteja já estabelecida, é importante ir revendo o modelo de negócio e envolver os clientes nessa questão. Imaginemos que a empresa pensa em reposicionar ou fazer algum tipo de update a um dos seus produtos ou serviços: pode fazê-lo em conjunto com os seus clientes e utilizadores, envolvendo-os no pensamento sobre qual poderá ser a fase seguinte.”

“Temos tido experiências interessantes com clientes mais antigos, que conhecemos há vários anos. Quando adotamos esta metodologia, conhecemos detalhes do seu negócio de forma muito mais sólida do que acontecera até aí”, Diogo Romão, CEO da Monday Interactive

O business design e experience design são metodologias usadas por grandes consultoras, diz o empreendedor, e são uma tendência forte, a nível internacional. “Em Portugal, começa a ganhar terreno e nós sentimos isso com clientes mais recentes e mais antigos. Temos tido experiências interessantes com clientes mais antigos, que conhecemos há vários anos. Quando adotamos esta metodologia, conhecemos detalhes do seu negócio de forma muito mais sólida do que acontecera até aí. Notamos um alinhamento muito maior com eles e deles também com o propósito do produto ou serviço que está a ser lançado. Isso reflete-se até na própria relação com os clientes.”

Diogo Romão formou-se em engenharia eletrónica e de computadores no Instituto Superior Técnico e, posteriormente, completou uma pós-graduação em Gestão, na Nova SBE. Entusiasta da tecnologia e empreendedor por natureza, co-fundou a Monday Interactive, a Junbi — que atua na área das soluções em cloud vocacionadas para os setores do retalho e turismo, da qual é também managing partner desde 2015 —, bem como outras duas empresas tecnológicas. É também, desde 2008, partner da Trillium Interactive, uma agência vocacionada para o marketing online. O seu currículo tem ainda passagens pela myAdLab, agência especializada em marketing para mercado mobile, da qual foi partner durante 3 anos, e pela TMN, onde foi gestor de projeto entre 2003 e 2008, logo no início da carreira.

“Ficamos muito orgulhosos por podermos dar o nosso contributo nesta conferência. O empreendedorismo em Portugal está a crescer e eventos deste tipo têm vindo a abrir muitas portas e mentalidades no país. O tema feminino é também muito importante nesse âmbito. Faz todo o sentido ter uma plataforma como esta conferência para partilhar experiências e conhecimentos com quem quer montar o seu negócio — e para quem precise de o repensar.”

A Conferência Empreendedorismo Feminino realiza-se a 21 de março, entre as 9h e as 13h, na Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, em Lisboa

Conheça o programa e garanta já o seu lugar aqui.

PROGRAMA

9h15 BOAS VINDAS

De jornalistas a empreendedoras: o que aprendemos em 4 anos

Isabel Canha e Maria Serina, fundadoras do Executiva.pt

9h30 TALKS

9h30 A situação e os desafios do empreendedorismo no feminino

Teresa Fragoso, presidente da CIG 

9h45 O novo mundo do trabalho: como recrutar as pessoas certas

Carla Rebelo, diretora-geral Adecco Portugal

10h00 Os segredos de um bom plano de negócios

Bárbara Barroso, fundadora Money Lab

10h15 Os aspetos legais que deve saber antes de criar a empresa

Ana Sofia Baptista, sócia Abreu Advogados

10h30 O que deve, e não deve, esperar dos investidores

Isabel Neves, presidente Lisbon Business Angels Club

10h45 Co-creating your business

Diogo Romão, CEO Monday

11h00  COFFEE BREAK

11h30  MESA REDONDA

O sucesso não cai do céu: da luta ao crescimento

Helena Vieira, fundadora e CEO UAU Homes

Filipa Munoz de Oliveira, fundadora e CEO Wink

Margarida Almeida, fundadora e CEO Amazing Evolution

Sara do Ó, fundadora e CEO Grupo Your

Helena Rodrigues, fundadora e CEO da Allby

12h30 FIM