Cristina Fonseca: “Falta talento às start ups nacionais” (em vídeo)

Falámos com a jovem empresária portuguesa, um dos nomes da lista Forbes "30 Under 30" de 2016, a propósito do empreendorismo feminino na área tecnológica e os desafios que as start ups deste setor enfrentam, em Portugal.

Cristina Fonseca, co-fundadora da Talkdesk

Em 2011, e apenas com 24 anos, fundou a Talkdesk com Tiago Paiva. A ideia pioneira, que permite a qualquer empresa criar um call center em menos de 5 minutos, rapidamente conquistou o primeiro prémio num concurso norte-americano de empreendedorismo. A empresa acabou por tornar a primeira start up portuguesa a ser aceite num prestigiado programa de aceleração de empresas de Silicon Valley, EUA.

Formada em Engenharia de Telecomunicações e Informática pelo Instituto Superior Técnico, Cristina Fonseca, 30 anos, é também membro dos Global Shapers, parte do Global Agenda Council on Europe, um grupo promovido pelo Fórum Económico Mundial cujo papel é discutir e influenciar a estratégia da Europa, e foi reconhecida pela Forbes como “30 under 30”, em janeiro do ano passado, a lista que reúne os nomes dos jovens mais promissores em diversas áreas, a nível mundial.

Pouco depois dessa notícia, Cristina Fonseca anunciou que iria afastar-se das atividades diárias da empresa para se dedicar a outros projetos pessoais, permanecendo como sócia da Talkdesk e continuando a apoiar as iniciativas da empresa. Falámos com ela na Conferência Mulheres na Tecnologia, promovida pela Executiva, a propósito do empreendorismo feminino na área das TI e os desafios que as start ups deste setor enfrentam, em Portugal.