Continental quer 25% de mulheres em cargos de administração até 2025

A meta definida para 2020 está quase atingida o que encorajpu a elevar a fasquia. Para o CEO da Continental, Elmar Degenhart, a “diversidade é o catalisador para o desenvolvimento, o que transforma a nomeação de mulheres para cargos de Direção num fator crítico para o sucesso”.

A Continental quer mais assentos para senhoras no Conselho de Administração e definiu as suas próprias metas.

A Continental pretende aumentar, em todo o mundo, a proporção de mulheres em cargos de administração para 25% até 2025. “A diversidade é o catalisador de desenvolvimentos e é crucial para o sucesso futuro, sendo este o fator principal pelo qual promovemos a diversidade – e apostamos cada vez mais na promoção das mulheres. Queremos reforçar a nossa inovação com diversidade e inteligência coletiva”, afirma em comunicado Elmar Degenhart, CEO da Continental.

Para aumentar a presença feminina em cargos de chefia, o Conselho de Administração da Continental definiu uma meta que vai além dos estatutos regulamentares: em 2015, a Continental definiu como meta até 2020, cerca de 16%. Atualmente, a proporção de mulheres em cargos de chefia é já próxima dos 15%. “Isto encorajou-nos a elevar a nossa ambição para 25% em 2025″, afirma Elmar Degenhart.

Os colaboradores selecionados são alvo de um diagnóstico objetivo, que teve como consequência a reavaliação dos critérios de qualificação para funções superiores, tais como Responsável de Unidade de Negócio. “Para este tipo de cargo, os potenciais candidatos não têm de ter necessariamente uma formação em engenharia. Competências comerciais e estratégicas ou outra experiência em área distintas são igualmente fatores importantes”, explica Ariane Reinhart, Membro do Conselho de Administração para as Relações Humanas. Utilizando um sistema de relatório, a empresa avalia regularmente se os programas de integração de jovens talentos estão a ser sistematicamente implementados. “Estamos constantemente a promover a diversidade na nossa empresa – cultural, profissional e de outras formas -. E é aqui que dependemos dos nossos responsáveis de RH. Precisamos que eles entendam que a diversidade de equipas é uma vantagem e que podem ser um exemplo”.

Conciliação entre a carreira e a família

Disponibilizando inúmeros projetos e programas, a Continental desenvolve o perfil das suas colaboradoras e incentiva o trabalho em equipa. Isto inclui uma diversidade de eventos como é exemplo o summit anual Women@Work. A Continental oferece as condições necessárias para que as colaboradoras possam conciliar família e carreira. “Precisamos de fazer algo mais para além de colocar mulheres em posições de direção. Temos que as preparar e dar-lhes o apoio necessário “, explica o CEO. “Na Continental, ter filhos e ter uma carreira não são mutuamente exclusivas”, acrescentou. A empresa promove o trabalho a tempo parcial e o trabalho flexível. Em 2016 foram introduzidas opções como o trabalho a partir de casa, trabalho móvel e licenças sabáticas para todos os colaboradores.