CIP lança formação executiva para mulheres

A Confederação Empresarial de Portugal lançou hoje o Projeto Promova para fomentar a cultura de igualdade de género nas empresas. O projeto consiste numa formação, em parceria com a Nova SBE, para promover talentos femininos com potencial de liderança a funções de gestão de topo nas empresas.

A CIP – Confederação Empresarial de Portugal lançou hoje o Projeto Promova, um programa de formação executiva dirigido a mulheres, com o qual pretende fomentar a promoção de talentos femininos com potencial de liderança a funções de gestão de topo nas empresas.

Com o Promova a CIP pretende contribuir para aumentar a presença de mulheres na atividade empresarial portuguesa, em cargos de alta direção, porque acredita que ao fazer isso, as empresas, e a sociedade em geral, beneficiarão da diversidade de perspetivas na tomada de decisões estratégicas das empresas.

“As empresas e os seus líderes estão cada vez mais cientes de que a diversidade gera inovação e criatividade, vantagens competitivas vitais ao seu crescimento”, António Saraiva, presidente da CIP.

“A CIP há muito que defende a necessidade de encontrar novas abordagens para promover de forma mais eficaz a cultura da igualdade de género nas empresas. As empresas e os seus líderes estão cada vez mais cientes de que a diversidade gera inovação e criatividade, vantagens competitivas vitais ao seu crescimento”, afirmou António Saraiva, presidente da CIP, no lançamento do Promova, assumindo, “Não o fazemos por ser politicamente correto ou por objetivos legalmente impostos, mas porque esta promoção gera vantagens competitivas, assumindo-se como uma contribuição decisiva para a concretização plena do potencial das organizações”.

Rosa Monteiro, Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, destacou o longo caminho já percorrido pelas empresas cotadas, fruto das leis produzidas em 2017 e 2018, não obstante Portugal ficar ainda aquém dos 33% na tomada de decisão económica por parte de mulheres. “Sabemos que não basta o aumento numérico de mulheres nos cargos de decisão. (…) A pesquisa tem indicado que são fundamentais medidas que evitem o efeito “saia dourada”, servindo a uma apenas aparente demonstração de igualdade, apenas representando uma categoria diferente num “clube de homens”, um símbolo e não uma verdadeira transformação das organizações”, nota a responsável do Governo. “Por isso a visibilidade que a CIP está a da a esta problemática é tão fundamental, através do projeto que hoje apresenta”.

“Estamos a caminhar para um mundo onde o importante será pensar, gerir, inovar, de cima a baixo, o que significa que as organizações têm de ser fundamentalmente diferentes. O importante será o talento e a capacidade de alavancar a diversidade”, Daniel Traça, dean da Nova SBE

O programa inclui uma componente formativa, desenhada em parceria com a Nova SBE, uma componente de coaching personalizado e mentoria cruzada. Cada participante terá o seu próprio mentor, que terá de ser um alto executivo de uma empresa que não a sua.

Daniel Traça, diretor da Nova SBE, destaca o atual momento de transformação no setor produtivo: “Vivemos num mundo onde o que era importante era fazer. Mas as máquinas vão fazer. Estamos a caminhar para um mundo onde o importante será pensar, gerir, inovar, de cima a baixo, o que significa que as organizações têm de ser fundamentalmente diferentes. Qualquer empresa que não repense a sua estrutura hierárquica não vai singrar. Vai ser necessário liderar de maneira diferente e isso implica soluções novas, alianças diversas e o envolvimento das pessoas. O importante será o talento e a capacidade de alavancar a diversidade”.

O Projeto Promova foi desenvolvido no âmbito de um Projeto Pré-Definido (PDP) do Programa “Conciliação e Igualdade de Género” gerido pela Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género (CIG) e financiado pelos EEA Grants.

Os objetivos

Identificar e desenvolver talentos femininos com potencial de liderança, com o objetivo de fomentar a sua promoção a funções de gestão de topo das empresas, contribuindo desse modo para diminuir o gap da igualdade de género. Como?

. Fomentando o acesso das mulheres, enquanto profissionais altamente qualificadas, a posições de decisão em organizações privadas;

. Reforçando os conhecimentos, as ferramentas e as competências das participantes, ajudando-as a tornarem-se líderes inspiradoras, capazes de fomentar a mudança e inovação nas suas organizações e também nas suas próprias carreiras;

. Construindo redes que possibilitem relações entre participantes, especialistas e oradores convidados;

. Desenvolvendo um plano individual que vise o alcance das metas profissionais pretendidas e que incentive a ascensão a funções de direção e administração;

. Sensibilizando as empresas para as vantagens, nomeadamente para a sua competitividade, de promoverem um maior equilíbrio de género na gestão de topo das empresas;

. Consciencializando empresas, pessoas e a sociedade em geral para a temática da “Conciliação e Igualdade de Género”, de modo a superar barreiras culturais, que ainda existem, no acesso a posições e funções de gestão de topo nas organizações.

A quem se dirige

Qualquer empresa sensibilizada para a promoção da igualdade de género no local de trabalho e mulheres executivas interessadas no projeto desde que tenham o apoio da empresa onde trabalham.

Requisitos mínimos das candidatas

. Licenciatura ou nível de estudos superiores equiparável

. Experiência profissional mínima de 15 anos

. Exercer um cargo de responsabilidade à data atual

. Nível de Inglês (B2) (no caso de não poder apresentar certificado terá de fazer um teste de Inglês na Universidade Nova SBE)

. Apresentar uma carta de apoio da empresa onde trabalha

Outros fatores que influenciam positivamente a candidatura:

. Nível do mentor proposto

. Outros certificados e diplomas

. Idiomas

. Tipo de experiência profissional (Número de funcionários que gere; nível de responsabilidade; posição hierárquica na empresa, etc.)

. Projeção profissional

. Experiência internacional

O que distingue o Projeto Promova

Coaching

As sessões de coaching dividem-se em três grandes momentos:

. Antes do início do programa formativo, focadas no processo de auto conhecimento para clarificação da identidade e reflexão sobre a marca pessoal. É o primeiro passo do plano de desenvolvimento individual.

. Entre módulos formativos, acompanhando o plano de desenvolvimento individual.

. Depois do último módulo, promovendo uma reflexão final sobre a experiência vivida ao longo do Programa, analisando os impactos e fazendo os necessários ajustes ao plano de desenvolvimento individual, preparando-o para a fase de mentoria.

Mentoria cruzada

A Mentoria cruzada é uma peça fundamental do Projeto Promova e que tem um duplo objetivo:

. Para a participante é uma oportunidade única de partilhar os seus projetos profissionais com um quadro da alta direção de outra empresa, que não a sua, num intercâmbio de experiências.

. Para os mentores é também uma oportunidade de partilhar conhecimento com a sua mentee e com outros mentores em relação a temas e experiências que a ambos enriquecerão.

. Cada participante indicará um mentor da sua empresa, o qual irá prestar mentoria a uma participante de outra empresa.

Atividades de networking

O projeto inclui vários eventos e reuniões profissionais em locais a agendar em Lisboa. Essas reuniões profissionais terão diferentes formatos, embora todas pretendam proporcionar aos participantes a oportunidade de conhecer e interagir com altos quadros executivos de empresas participantes e da comunidade empresarial em geral.

 

Mais informação aqui.