Céline Abecassis-Moedas: “A pressão está a forçar-nos a inovar muito rápido”

Céline Abecassis-Moedas, diretora da Formação de Executivos da Católica Lisbon SBE sobre a reação da escola de negócios ao confinamento social.

Céline Abecassis-Moedas é diretora da Formação de Executivos da Católica Lisbon SBE.

Céline Abecassis-Moedas lidera a Formação de Executivos da Católica Lisbon School of Business and Economics (Católica-Lisbon) desde o início de 2019, função que acumula com as de professora associada nas áreas de Estratégia e Inovação e de diretora académica do CTI&E – Center for Technological Innovation & Entrepreneurship, na mesma escola.

Antes de chegar a Portugal em 2004, Céline Abecassis-Moedas trabalhou em outros três países. Licenciada em Economia e Gestão pela École Normale Supérieure de Cachan e pela Université Panthéon-Sorbonne, fez o mestrado em Métodos Científicos de Gestão pela Université Paris Dauphine e o doutoramento em Estratégia Empresarial pela École Polytechnique de Paris, e começou por trabalhar em Franca, como investigadora na France Telecom. Três anos depois, em 1999, mudou-se para Nova Iorque, onde foi gestora de produto na Lectra, e no ano seguinte, volta à Europa para integrar a AT Kearney, em Londres, como consultora de estratégia. Em 2002 abraça a carreira académica, que foi conciliando com cargos empresariais. Foi professora na Queen Mary University of London, no MIT Sloan School of Management e atualmente é professora afiliada na ESCP Europe, em simultâneo com as várias funções que exerce na Católica Lisbon SBE. É igualmente administradora não executiva da José de Mello Saúde e CTT e membro do Conselho Consultivo da COTEC.

 

“O desafio nesta crise atual é a perda de negócios para a Católica Lisbon e o impacto que isso causa nas pessoas que trabalham para nós e que também elas estão a perder negócio. Também estamos a transformar a nossa oferta em uma mais digital, o que é muito desafiante e empolgante ao mesmo tempo. Clientes e professores estão a responder muito positivamente neste contexto, porque somos todos forçados nessa direção. A pressão externa está a forçar-nos a inovar muito rápido!

Em uma nota mais pessoal, gerenciar uma família inteira em casa e trabalhar ao mesmo tempo é um grande desafio. Muito mais difícil para mulheres e mães do que para pais!”