A rainha das apostas

A não perder na Executiva

Carla Baltazar

Carla Baltazar é managing director e gender lead da Accenture Portugal.

“A Covid-19 teve um grande impacto no cronograma para a igualdade de género. Se antes contávamos conseguir alcançar esta paridade em 2120, a pandemia fez com que houvesse um atraso de 51 anos nesta meta”, destaca Carla Baltazar, gender lead na Accenture Portugal, sobre as conclusões do estudo “If not now, when?”, realizado pela W20 e pela Accenture, em que se evidencia a vulnerabilidade das mulheres em todo o mundo a crises como a pandemia da Covid-19.

 

O nosso top da web

Helena Helmersson não podia ter assumido em pior altura a liderança da H&M. Após 22 anos no gigante sueco, onde foi diretora de sustentabilidade, responsável pela produção global e diretora de operações, antes de chegar a CEO no final de 2019, ainda nem tinha aquecido a cadeira e já estava a braços com a pandemia e o consequente encerramento de 80% das suas 5000 lojas em todo o mundo. Agora está a lidar com as retaliações da China depois de ter condenado violações dos direitos humanos nas explorações de algodão na província de Xinjiang. A tentativa de suavizar as coisas (ainda) não resultou e a China, que é o seu quarto maior mercado e o seu maior fornecedor, continua a exigir um pedido formal de desculpas. Enquanto tal não acontecer, parte das lojas da H&M na China continuarão encerradas e a marca fora das plataformas de compras online chinesas.

. A cientista política Mariya Gabriel  supervisiona a implementação do novo programa de pesquisa da União Europeia, Horizon Europe, que distribuirá 95,5 mil milhões de euros ao longo de 7 anos. Em entrevista à revista Nature, descreve as cinco “missões” orientadas para objetivos — sobre cancro, ambiente, oceanos, cidades do futuro, e solo e segurança alimentar — que definirão o caminho para a investigação científica na Europa. “Fizemos alguns progressos, mas há sinais de estagnação” na investigação europeia, afirma. “Devemos adaptar-nos às novas formas como a pesquisa e a inovação estão a acontecer.”

É a rainha das apostas. A fundadora e CEO do grupo de apostas Bet365, Denise Coates, 53 anos, ganhou cerca de 550 milhões de euros em 2020 entre salários e dividendos, cerca de mais 50% que no ano anterior. Além de ser um dos executivos mais bem pagos do mundo, é também a mulher mais rica do Reino Unido e tem a 219.ª maior fortuna do planeta, segundo a Bloomberg. Licenciada em Econometria, aos 22 anos já era gerente da loja de apostas do pai. Antes de entrar no negócio das apostas online — que fez o negócio disparar —, ampliou a rede de lojas. No ano passado, doou 12 milhões de euros para a luta contra a pandemia no Reino Unido.

. O parlamento da Nova Zelândia aprovou uma lei que dá três dias de licença por luto às mães e aos pais em caso de aborto espontâneo. A iniciativa, aprovada por unanimidade, partiu da deputada Ginny Andersen com o argumento de que uma em cada quatro neo-zelandesas sofre um aborto espontâneo. Desta forma, os pais nestas circunstâncias não terão de recorrer a baixa médica para ter tempo “para aceitar a sua perda”. Segundo a BBC, depois da Índia, a Nova Zelândia é o segundo país do mundo a prever esta situação.

. Cansada do trabalho doméstico e de um casamento infeliz, Su Min, uma mulher de 56 anos fez uma viagem de seis meses pela China que desafiou as normas de género profundamente enraizadas nessa sociedade. Tendo documentado a sua viagem para mais de 1,35 milhões de seguidores em várias plataformas, tornou-se num inesperado ícone feminista. Uma celebridade que foi fotografada para uma campanha do site de compras de luxo Net-a-porter. A sua popularidade  atribui-se à rápida disseminação da internet e uma crescente consciência da igualdade de género num país onde os papéis tradicionais de ainda estão profundamente enraizados, especialmente entre as gerações mais velhas. Uma reportagem a ler no The New York Times.

. Uma década depois de ter lançado a assistente virtual Siri, a voz do bot da Apple vai deixar de ser por defeito uma mulher. A partir desta Primavera, os utilizadores poderão selecionar uma voz entre quatro opções, quando instalarem o sistema operativo no seu telefone. Segundo a  Apple, esta mudança reflete o seu compromisso com a diversidade e a inclusão e com produtos e serviços que “são desenhados para melhor reflectir a diversidade do mundo em que vivemos”. Mas não deixaram de se ouvir vozes dizendo que a Apple só agora lidou com o género da Siri, não obstante as críticas inicialmente recebidas, e negligenciou as necessidades das mulheres no passado, não prevendo uma ferramenta de monitorização do período menstrual no seu kit de Saúde.
Máquinas obedientes com uma voz exclusivamente feminina perpetuam o sexismo e o estereótipo de que a profissão de assistente é feminina, e que a mulher deve ser submissa e cumprir ordens, afirmam vários académicos citados num relatório lançado em 2019 pela Unesco.

. A diretora de Recursos Humanos da Unilever, Leena Nair, responsável por 150 mil trabalhadores em todo o mundo, partilhou os desafios que a multinacional tem enfrentado na pandemia e como se está a preparar para o futuro. Em entrevista à McKinsey fala sobre a app que criaram para que os seus líderes nos 190 países onde atuam tivessem números e previsões sobre a Covid em tempo real para melhor gerir as suas unidades, e também as lições que aprendeu com a pandemia. Deixamos algumas:
. Quando nos preocupamos com as nossas pessoas, elas preocupam-se com o negócio;
. O propósito é vital. É muito diferente quando as pessoas percebem “Tenho de ir trabalhar porque o mundo precisa de sabonetes e desinfetantes” ou “Tenho de ir trabalhar para garantir que os alimentos estão disponíveis em todo o lado”;
. Não desperdicemos este momento de reinvenção. As nossas crenças de como as coisas devem ser feitas foram postas à prova, agora é altura de repensar o trabalho, como e onde se trabalha.

Carolina Marin é a rainha dos big data, segundo o El Pais. O jornal espanhol revela o admirável mundo novo dos big data aplicados ao desporto, que movimenta milhões de euros e que envolve matemáticos, físicos e analistas desportivos no sucesso dos atletas, através do exemplo da espanhola Carolina Marin, campeã olímpica de badminton que assim conseguiu vencer o talento histórico das asiáticas na modalidade. Desde que se tornou campeã do mundo, em 2014, que o seu treinador e a sua equipa já analisaram mais de 240 mil partidas da jogadora e das suas adversárias, o que resulta em cerca de 12,5 milhões de dados! Obviamente, tudo com a ajuda de software especial e de analistas muito bem preparados (alguns trabalham a partir de uma empresa em Aveiro). O seu treinador admite que passam mais tempo a analisar dados do que a treinar! Mas graças a estas análises, Carolina consegue antecipar a maioria das jogadas das adversárias em campo e até pode visualizar a próxima partida antes de a jogar!

 

Quebra-gelo para almoços na esplanada

Sabia que… os hula hoops regressaram como a mais recente moda fitness? A pandemia obrigou ao confinamento e às casas dos norte-americanos voltaram estes arcos, tão populares nos subúrbios nos anos 50. Hula hooping é a nova tendência: basta ver os videos no Tik Tok e no Instagram, onde as mulheres demonstram as suas habilidades. Há arcos com pesos para exercícios mais intensos e até um smart hoop que dialoga com uma app, conta o The Wall Street Journal.

 

Sabia que… o exército suiço vai, finalmente, fornecer roupa interior feminina às mulheres soldado? É mais uma das formas de atrair mais mulheres para suas fileiras. Atualmente, as mulheres soldados recebem roupas íntimas masculinas, mas dois conjuntos diferentes de roupas íntimas femininas, para climas mais quentes e mais frios, serão testados durante uma experiência piloto que começa em Abril. As mulheres representam menos de 1% do exército suíço, mas as autoridades querem aumentar essa proporção para 10% até 2030. Em 2019, Viola Amherd tornou-se na primeira mulher ministra da Defesa na história do país.

 

Work hard, play hard!

 

A PEÇA DE ROUPA IRREVERENTE

A t-shirt que fala por si

Mal surgem os primeiros dias quentes tiramos da gaveta as t-shirts da linha de moda lançada pela Executiva. São peças de roupa de qualidade, com mensagens poderosas. Quantas vezes sentiu que se um homem assume plenamente o papel de chefe é um líder, já uma mulher é simplesmente mandona? Foi precisamente para combater este último estereótipo que lançámos a nossa primeira t-shirt. Com ela, não precisa de abrir a boca para dar uma lição a quem ainda tem dúvidas sobre a sua capacidade de liderança. Em preto ou em branco é perfeita para qualquer situação, até mesmo para um almoço de trabalho ou de negócios em que queira deixar clara a sua irreverência. Compre aqui.

 

A LOJA IRRESÍSTIVEL

Tudo melhora com um pouco de SAL

“A Natureza é a nossa maior inspiração. Queremos dar ‘tempero’ à vida e aos ambientes, ser o SAL do mar e da terra. Privilegiamos na nossa curadoria de produtos a exclusividade, a produção manual e a sustentabilidade”, afirma Sandra Nascimento, fundadora da loja online SAL. Nós adoramos  todas as peças, mas perdemos completamente a cabeça por esta chaise longue em linho 100% e pelo candeeiro Osi by Dareels. Nesta marca de decoração e lifestyle encontra cerâmica de autor, pintura, fotografia, escultura, alguns deles de artistas e designers portugueses, complementos de decoração, joalharia de autor, alta perfumaria, produtos orgânicos para o corpo e a mais recente novidade é a representação de artigos de iluminação para a casa e mobiliário que valorizam a produção sustentável e uma preocupação ambiental. Compre aqui.

 

 

 

 

Parceiros Premium
Parceiros