Maus chefes são maus pais

Fala-se muito da auto-estima das crianças, do que nós, mães (e pais), podemos fazer para que os nossos filhos se tornem adultos confiantes. Dar-lhes as ferramentas para tomar decisões e correr riscos é, segundo os pedopsiquiatras, uma das maiores responsabilidades que temos. Deixá-los correr já é dificil. Gritamos “não corras que vais cair”, com uma certeza que faria tombar até o mais equilibrado dos trapezistas. E os riscos a que os sujeitamos são tão minimizados que só muito tarde – por vezes demasiado tarde – os nossos filhos são obrigados a ensaiar decisões.

De muitas maneiras maus chefes são maus pais. Quando entramos nas organizações somos autênticas crianças do ponto de vista profissional. Estamos a dar os primeiros passos e precisamos de alguém que nos dê a mão (e a largue nos momentos certos). Posso dizer que tive a chamada sorte de principiante e que fui uma caloira feliz. Soube desde cedo o que são líderes inspiradores. Perderam tempo comigo, ensinaram-me sem pregar, criticaram-me sem recorrer ao insulto e motivaram-me abrindo mão do elogio fácil.

Não fosse esta primeira experiência positiva na base da hierarquia, duvidaria hoje da existência destes líderes, que infelizmente povoam mais os livros de gestão do que as nossas empresas. Desde então já experimentei todos os tipos de liderança, ou melhor dizendo, de chefia, incluindo o “chefe deixa andar”, que só não delega o seu ordenado e o BMW ZX (ah e os louros!), que não critica mas também não elogia, que não chateia mas também não ajuda, e o chefe intragável, a antítese do líder inspirador.

O chefe intragável é o mau pai (ou mãe), aquele que não nos deixa crescer, que no coloca as orelhas de burro quando erramos, que ridiculariza as nossas ideias “fora da caixa”, que tem medo do nosso sucesso. É aquele que deixa marcas irreversíveis na nossa auto-estima profissional, que nos faz fugir dos riscos e das decisões. Penso nele todo os dias em que estou com os meus filhos, mas faço o meu melhor para que apenas as minhas primeiras (e únicas) líderes inspiradoras levem a melhor.