O número de bilionários na lista da Forbes disparou

A não perder na Executiva

Jane Hoffer

Jane Hoffer é CEO da GoWithFlow.

A norte-americana Jane Hoffer, CEO da GoWithFlow, diz que o talento tecnológico nacional foi uma das razões para aceitar o desafio de vir para Portugal, com o objetivo de transformar a empresa que gere numa companhia global. “Portugal produz pessoas com capacidades excecionais”, afirma.

 

A ler na Web

 

O nosso top 

. Quando Vicky Tsai era adolescente, a sua família mudou-se para Houston, nos Estados Unidos — e ela rapidamente percebeu que nunca se encaixaria nos padrões de beleza que imperavam em seu redor. Filha de imigrantes taiwaneses, durante toda a sua infância lutou contra a sua identidade. Até que nos seus 20 anos, graças a um trabalho, viajou por todo o mundo — incluindo uma viagem de 2008 ao Japão, onde se apaixonou pelos rituais de beleza locais, destinados a melhorar o bem-estar mental. A experiência inspirou-a a, um ano depois, lançar Tatcha, uma marca de beleza com sede em San Francisco construída em torno desses rituais japoneses.
Deparou-se com muitos obstáculos, nomeadamente as respostas dos seus potenciais distribuidores, que lhe diziam que a Tatcha era “muito nicho” e “muito exótica” para as mulheres ocidentais. Mas Vicky Tsai superou-os, transformando a sua startup numa das empresas de crescimento mais rápido da América em 2015. Mesmo assim, deixou o cargo de CEO, depois de ser informada por “dois consultores do sexo masculino de meia-idade” que não estava qualificada para dirigir a empresa que liderou com sucesso durante uma década. A Unilever comprou a Tatcha por cerca de 500 milhões de dólares em 2019. No início deste ano, Vicky Tsai regressou à empresa como CEO. Leia a história da Inc., para saber como ela está a dirigir a empresa sob a pandemia da Covid-19  e como descobriu algumas realizações cruciais sobre liderança, progresso e preconceito enquanto estava fora.

 

. Com um país que num só dia foi responsável por 40% das mortes por Covid-19 no mundo, a empresária brasileira Luiza Trajano apresentou a iniciativa “Unidos pela Vacina”, na semana passada, noticia a Exame Brasil. A presidente da rede de lojas Magazine Luiza e do Grupo Mulheres do Brasil pretende que os empresários brasileiros ajudem a acelerar a imunização em massa da população, reunindo doações privadas para ajudar o poder público na compra, distribuição e aplicação das vacinas em todo o país.

 

. O número de bilionários na lista da Forbes disparou. A lista dos mais ricos conta este ano com 2755 pessoas (mais 660 do que no ano anterior) e a sua fortuna acumulada aumentou 5,1 biliões de dólares desde o início da pandemia! Ainda que as criptomoedas, as SPAC, os clássicos IPO e até mesmo as vacinas — o casal da BioNTech são um dos 40 exemplos que enriqueceram com a Covid-19 — tenham dado uma ajuda, não deixa de ser um paradoxo como é que num ano em que as economias quase pararam 86% dos bilionários estão mais ricos hoje do que há um ano…

A lista é liderada por Jeff Bezos, Elon Musk, Bernard Arnault, Bill Gates e Mark Zuckerberg. A primeira mulher é Françoise Bettencourt Meyers, herdeira da L’Oréal, na 12.ª posição, seguida de Alice Walton, herdeira do fundador da Walmart (17.ª), e de MacKenzie Scott, escritora e ex-mulher de Bezos, que mesmo depois de ter doado quase 6 milhões de dólares a várias instituições consegue o 22.º lugar. As herdeiras de Américo Amorim ocupam a 608ª posição e só há mais um português na lista: José Neves, fundador da Farfetch, em 1249º lugar. Neste vídeo fica a par das principais alterações em menos de 5 minutos.

 

Katalin Kariko teve o “azar” de ter começado a falar do RNA cedo demais. A sua investigação de anos foi fundamental para as vacinas desenvolvidas pela Moderna e pela Pfizer-BioNTech, mas durante décadas ninguém a valorizou. Nasceu na Hungria, de onde saiu em 1985, com o marido, a filha de dois anos e o seu urso de peluche com 1250$ na barriga, por que o governo não deixava sair ninguém do país com mais de 100$. Se hoje até o Dr. Fauci a elogia, dizendo que a sua descoberta tem potencial para outras vacinas que podem curar a SIDA, a influenza e até a malária, durante anos ninguém ligou à ideia de que o mRNA poderia ser usado para instruir as células a fazerem os seus próprios medicamentos (incluindo vacinas), que foi publicada num artigo científico em 2005, assinado por Katalin e por Drew Weissman. A sua carreira foi andar de laboratório em laboratório, de bolsa em bolsa, até que aos 65 anos, a sua investigação foi finalmente reconhecida. Vale a pena conhecer o seu percurso inspirador neste artigo do The New York Times.

 

. Uma nova campanha viral instiga as mulheres a retirarem o género do seu CV. As CEO e as líderes de empresas, grandes ou pequenas, devem evitar expressões como “girl boss” ou “boss babe”. Tudo começou quando Ashley Sumner, CEO da plataforma de fitness Quilt, publicou um post no LinkedIn encorajando as mulheres a removerem a palavra “female” da sua descrição profissional, suscitando imediatamente uma onda de apoios e críticas. “Preocupa-me que isso permita que os investidores vejam os fundadores mulheres como uma classe separada do resto dos fundadores. Receio que isso permita aos investidores passar cheques menores às fundadoras. Acredito que as mulheres precisam de ajudar a inspirar outras mulheres, mas também que a identidade pode ser usada como um rótulo para nos separar”.

 

12 ideias práticas para realizar uma mudança de vida é uma boa ajuda para quem quer quebrar ou ganhar um hábito ou anseia por uma mudança mais radical. As suas reflexões e dicas muito claras substituem umas quantas sessões de coaching e são capazes de lhe dar o empurrão de que precisa para iniciar as mudanças que há muito deseja mas que ainda não conseguiu ganhar coragem para fazer.

 

Código London Bridge

A morte do Príncipe Philip veio recordar os ingleses de que um dia também a Rainha Isabel II partirá — fará 94 anos a 21 de abril, já sobreviveu a 15 primeiros-ministros, mas não é eterna. Num país em que a Família Real é mesmo uma instituição já está tudo mais do que previsto para quando esse dia chegar. O primeiro-ministro será o primeiro a ser informado através do código “London Bridge” e a partir daí já está tudo preparado, até mesmo fora da casa real: há jornais com material noticioso pronto para publicar durante 11 dias, há listas de músicas preparadas para passar nas rádios e até os jornalistas sabem com que tipo de roupa terão de dar a notícia. Se é uma apaixonada por este tema, saiba todos os detalhes neste artigo do The Guardian.

A história dos desejados closets

Em 2008, Carrie Bradshaw deu o sim a Mr. Big, mas trocou o anel de noivado por um grande closet onde pudesse guardar a sua coleção de sapatos e o guarda-roupa que a transformaram num ícone de moda. Esta fantasia é cada vez mais uma realidade, à medida que as casa americanas se tornam maiores, com menos habitantes e com mais peças para guardar e organizar.
Com as lojas fechadas, o último luxo é fazer compras no seu próprio guarda-roupa e os americanos estão a transformar divisões vazias em closetsgigantes, escreve o The Atlantic, que nos leva numa viagem na história desta divisão que remonta a 1300 e que chega aos nossos dias como um negócio e uma tendência que mexe com o mercado imobiliário.

 

Work hard, play hard!

O LIVRO QUE ESTAMOS A LER

Lições do mais rico do mundo

Sabia que o homem mais rico do mundo lançou a Amazon com as poupanças dos pais, ainda que eles não entendessem muito bem o que era a internet? Estavamos em 1995… Esta é apenas uma das muitas histórias contadas neste livro, que revela também a visão, os valores, a estratégia e as lições de Jeff Bezos na criação, direção e transformação da Amazon. Nas livrarias a partir de 20 de abril. Veja a talk aqui.

 

O VIDEO QUE VALE A PENA

A História das pandemias

As epidemias não são um fenómeno novo – a primeira de que há registo remonta a 3 000 anos a.C. Desde então, o inimigo invisível a olho nu tem chegado cada vez mais depressa a cada vez mais zonas do planeta, transformando epidemias em pandemias em menos de nada. Nesta Breve História das Pandemias, a professora Teresa Rodrigues (Universidade Nova de Lisboa) ajuda-nos a perceber alguns dos momentos mais marcantes desta face da história da Humanidade. Veja aqui.

 

 

Parceiros Premium
Parceiros