Mail aberto à senhora duas secretárias à frente

Exma. Dra. Maria Telha de Vidro

 O mais provável é que não saiba quem eu sou, mas eu conheço-a tão bem. Sempre que esbarro contra si, a minha carreira fica com uns cortes minúsculos, quase invisíveis, que sangram muito e insistem em não sarar. E não tem necessariamente de haver contacto físico, até porque a senhora não se aproxima muito de mim. Sim, sei que o problema não sou eu, não é nada pessoal. Somos todas nós. “Gosto muito mais de trabalhar com homens. As mulheres são todas umas cabras”, disparou para o ar no outro dia. (Percebo agora o seu fetiche com o animal print, tão tendência este verão.) Mas, se me permite a ousadia, penso que a minha função aqui é mais a de bode, tipo expiatório. (Tudo isto faz daquele senhor ali no aquário à prova das suas balas o nosso pastor, certo?) Mas o que queria mesmo era dizer-lhe que decidi não seguir o seu exemplo. “Na minha altura, passado um mês já estava a trabalhar. Hoje, ficam em casa cinco meses e depois admiram-se…”, disse-me com um olhar dramatizado pelos olhos esfumados, estava eu de partida para a maternidade para ter o meu segundo filho. Informo ainda que vou também tirar a licença de amamentação a que tenho direito. Envio, em anexo, um estudo da Universidade de Granada sobre os benefícios do leite de cabra para a saúde dos bebés.

Melhores cumprimentos,

Fernanda Carreira Estagnada (a senhora duas secretárias atrás)