A bilionária de que não se ouve falar

A não perder na Executiva

Graça Borges, diretora de de Comunicação, Relações Institucionais e Sustentabilidade do Super Bock Group, afirma-se movida a desafios profissionais, mas elege como o maior aquele que teve impacto na sua vida pessoal. Leia aqui.

 

A ler na Web

 

O nosso top 

A bilionária de que nunca ouvimos falar… até hoje

Judy Falkner é a fundadora e CEO da Epic Systems, um império de registos médicos eletrónicos que trabalha com mais de 2400 hospitais em todo o mundo e só nos Estados Unidos tem os dados de mais de 225 milhões de pessoas. Diz que queria apenas desenvolver o software, mas que as pessoas tanto insistiram para que criasse uma empresa, que acabou por ceder — hoje a sua participação vale seis mil milhões de dólares! Graças ao seu pioneirismo, reinou sozinha neste negócio durante anos, mas agora que a Covid-19 acelerou a digitalização de tudo, é provável que tenha de dividir o seu reinado com concorrentes.

Desde que criou a empresa em 1979, Judy Falkner recusou parcerias, aquisições e investidores, mas segundo a jornalista da Forbes que assina este perfil, todos a conhecem no meio e são unânimes em descrevê-la como brilhante. A Epic Systems, que fica no Wiscosin e emprega 10800 colaboradores, é comparada por quem a visita e lá trabalha a uma espécie de Disneyworld para adultos, pois tem imensa cor e zonas temáticas alusivas a figuras míticas como Alice no País das Maravilhas, Feiticeiro do Oz e Harry Potter. Uma bilionária realmente diferente.

 

A discreta viúva Safra, guardiã de um império bancário global

Vicky Safra tinha apenas 17 anos quando se casou com o homem que viria a tornar-se o banqueiro mais rico do mundo. Cinco décadas depois, ela e os filhos agora são os guardiões da vasta fortuna Safra, construída ao longo de 180 anos em quatro continentes, o que faz dela uma das mulheres mais ricas do mundo.
Desde a morte de Joseph Safra, em dezembro de 2020, o controle de alguns dos bens mais valiosos da família passou a ser exercido pela sua discreta viúva de 68 anos e os seus quatro filhos. São proprietários do J. Safra Sarasin, na Suíça, e do Banco Safra, no Brasil, dois bancos que somam cerca de 90 mil milhões de dólares em ativos totais, bem como empresas ligadas aos imóveis da família, que incluem o arranha-céu Gherkin, em Londres, e o número 660 da Madison Avenue, em Nova Iorque.

 

Na linha de sucessão para a liderança do JP Morgan

Duas mulheres vão liderar a banca de retalho do JP Morgan, a maior divisão do banco, o que as coloca na linha para suceder ao CEO Jamie Dimon. Marianne Lake, ex-diretora financeira do banco que mais recentemente era a responsável pelo crédito ao consumidor, e a actual diretora financeira, Jennifer Piepszak, vão gerir a divisão em conjunto, reportando a Gordon Smith, de 62 anos, até que este se aposente no final do ano.
De acordo com um porta-voz da empresa, o board do JPMorgan pediu a Jamie Dimon, de 65 anos, para continuar a desempenhar as funções de CEO por um “número significativo de anos”, o que é interpretado pelos analistas como por mais 5 a 7 anos, se tudo correr bem em termos de negócio e com a sua saúde. As duas executivas, ambas com 51 anos, são consideradas as principais candidatas a liderar um dia o JP Morgan.

 

E-waste e the right to repair

As mulheres estão a liderar o movimento emergente que proclama the right to repair, o direito a consertar, incentivando as pessoas a que reparem os seus velhos aparelhos eletrónicos, em vez de os deitarem para o lixo e comprarem um novo. Este movimento exige que as empresas forneçam manuais para que todos o possam fazer. Tudo começou quando a jornalista Martine Postma viu os teclados dos seus colegas no lixo e descobriu que deitamos fora quase 60 milhões de toneladas de lixo eletrónico em todo o mundo, sendo que apenas menos de 20% é reciclado. Ela criou o primeiro Repair Cafe de Amsterdão para ensinar “pessoas comuns” a reparar as suas próprias máquinas. Hoje, as mulheres nos Estados Unidos, na Argentina e na Índia estão criar este movimento  a nível local e em Portugal o conceito também já se instalou. Leia este artigo do USA Today para saber como reciclar produtos eletrónicos.

 

Os melhores diretores de marketing do mundo ao seu alcance

“A nossa missão é democratizar o acesso ao talento de marketing“, explica Lara Vandenberg, fundadora e CEO da Operator, uma plataforma que permite contratar executivos de marketing por uma hora. “É como a MasterClass e Cameo juntas”, descreve. A plataforma conta com especialistas de marketing, como Kieran Hannon, da Belkin, OpenPath e WellAir; Anisha Raghavan, da Walgreens Boots Alliance; Wen Zhou, cofundador e presidente da Philip Lim; e Eric Toda, responsável pelo marketing social do Facebook, e outros 96 profissionais. São os executivos quem define quanto cobram, com valores entre os 200 e os mil dólares por hora.

 

Mulheres em museus

. Todos os sábados, pelas 16h, o jardim secreto da casa de Amália Rodrigues, na Rua de São Bento, enche-se de música para um concerto acústico e íntimo de voz, guitarra portuguesa e viola de fado.O elenco de fadistas é composto por Ana Sofia Varela, Célia Leiria e Sandra Correia. Na guitarra portuguesa, Pedro Amendoeira, e João Filipe na viola de fado. Para uma experiência mais enriquecedora, os espetáculos podem ser antecedidos por uma visita guiada à Casa-Museu (mediante marcação prévia).

. Até 31 de Julho, a Galeria de São Roque, em Lisboa, apresenta “A Tribute to Women Artists in The São Roque Collection”. Reunindo 91 obras de 40 artistas nacionais de várias gerações que fizeram ou fazem parte do espólio da casa, a exposição pretende homenagear as mulheres artistas portuguesas. Na seleção de obras estão artistas como Josefa d’Óbidos, Vieira da Silva, Lurdes Castro, Paula Rego, Helena Almeida, Sara Affonso, Joana Vasconcelos, Aurélia de Sousa, Graça Morais, Ana Vidigal, Bela Silva, Ana Jotta, Menez ou Maria Keil, entre outras. “Esta mostra surge da necessidade de repensar e colmatar definitivamente a disparidade de género na arte, lutando contra a discriminação de que as artistas têm vindo a ser alvo ao longo do tempo”, explica o galerista Mário Roque em comunicado.

. O museu de Jane Austen, no local da sua última casa em Chawton, Inglaterra, começou a falar de história nas suas exposições e tours — incluindo as ligações da família da escritora com o comércio de escravos, pois o seu pai era administrador de uma plantação de açúcar. A decisão incomodou alguns fãs de Austen, mas outros dizem que é necessário contar “a história da Inglaterra” por completo.

Kamala Harris será a primeira vice-presidente a ser homenageada no famoso Museu de Cera Madame Tussauds de Nova Iorque, que revelará a sua imagem e a do presidente Joe Biden ainda este ano. As figuras de cera serão exibidas na “Experiência do Salão Oval” do museu. A figura de cera de Kamala Harris vestirá réplicas do blazer roxo e do vestido usado no dia da posse, desenhadas por Christopher John Rogers, o mesmo estilista que vestiu Harris para a cerimónia oficial.

 

Work hard, play hard!

A MINISERIE A NÃO PERDER

Aenne Burda, a empresária extraordinária

Na Alemanha do final da década de 1940, a devastação da guerra  dá lugar a um  milagre económico. Neste contexto, Aenne Burda sonha em fazer regressar a elegância feminina para o primeiro plano. A sua ideia inovadora é lançar uma revista com tendências de moda, estilos e dicas para costurar peças de roupa práticas e de bom gosto. Mas enfrenta um mundo dominantemente masculino e o marido, o bem-sucedido editor Franz Burda, nem quer ouvir falar da sua ideia. Aenne Burda ultrapassa as dificuldades e, ao descobrir o caso do marido com a secretária, emancipa-se. No lugar certo, à hora certa, a icónica editora de moda do final dos anos 1940 continua a ser um exemplo da reconstrução alemã. Não perca hoje o último episódio, da minissérie de dois, na RTP 2 às 22h 10m. Veja o trailer aqui.

 

TENTAÇÃO IRRESISTÍVEL

Cheira bem, cheira a Comporta!

Pedro Simões Dias é advogado de protecção de dados, especializado em Direitos de Autor e Direito da Internet. É também um conhecedor e apaixonado por aromas e perfumes. Criou a Comporta Perfumes em 2017, depois de se ter apaixonado por este paraíso na costa atlântica portuguesa.
À gama de nove fragrâncias inspiradas em experiências e memórias de um dos destinos mais exclusivos da Europa, junta-se o mais recente A Olhar Trancoso, com um twist tropical, recordando as praias brasileiras de Trancoso. Os frascos são desenhados e produzidos pela Vista Alegre. Perfumaria de luxo com ADN português! Compre aqui.

Parceiros Premium
Parceiros