As estagiárias

Estou naquela altura difícil da vida. Sim, aquela altura difícil da vida em que todas as outras mulheres começam a ser mais novas do que eu. Aquela altura da vida em que todos os dias no elevador da empresa me cruzo com pelo menos uma cara nova: um rosto com creme de dia, sérum, BB, CC e todos os outros produtos TT da cosmética. E aposto todos os meus duodécimos que, por baixo das skinny jeans que levantam o rabo, ainda têm daquelas leggings que deitam abaixo a casca de laranja e que esfoliam enquanto elas se abanam em cima dos compensados com salto de madeira a fazer tum tum na minha cabeça livre de queratina. Nasceram nos anos 90 ou depois e tratam-me por tipo…senhora, ao mesmo tempo que que usam as unhas de gel para fazer um ruidoso scroll no seus smartphones. É então que saio do elevador com uma determinação rejuvenescida e decido enviar um sms à minha “miga maluka”.

– Borras bebey um corpo logo?

Outra competência exclusiva às nativas pós anos 90: andar e escrever mensagens em escrita inteligente. Mértola para isto!