12 grandes brancos para o Verão

Os vinhos brancos portugueses cada vez mostram melhor o potencial do país para produzir grandes brancos, de classe mundial. Entre os muitos vinhos que provei durante o ano passado e durante este ano, junto algumas sugestões para apreciar durante este verão, em conjunto com a classificação que lhes atribui quando os provei. Alguns já têm algum tempo de garrafa, mas precisavam dela para se poder usufruir de todo o seu potencial. São, de certeza, boas companhias de mesa, apreciados num bom copo e à temperatura correcta. Boas férias.

 

Casa Ferreirinha Antónia Adelaide Ferreira White 2012_Packshot (01)

Antónia Adelaide Ferreira Banco 2012
Casa Ferreirinha
Castas: Viosinho e Arinto
PVP: 40 euros
Classificação: 19/20

Produzido com 100% de uvas da Quinta do Sairrão, no Douro, este vinho tem um aroma muito complexo, com notas de flores brancas e de fruta branca e fruta de caroço maduras a lembrar ameixa, também uva passa e frutos tropicais. Tem uma boca extensa, corpo e um final longo e fresco, com aromas a lembrar fruta branca madura. É um vinho que deve ser aberto um pouco antes de ser servido. Aprecie-o agora ou durante mais um par de anos entre os 10 e os 12ºC, na companhia de peixes assados no forno ou caldeiradas, por exemplo.

 

Branco Teixuga

Teixuga 2013
Caminhos Cruzados
Castas: Vinhas velhas maioritariamente da casta Encruzado
PVP: 30 euros
Classificação: 18/20

Branco do Dão de aroma complexo, marcado pelas notas de frutos secos, fruto tropical a lembrar anona e algum floral de flores brancas. Tem um ataque de boca pujante, num branco com estrutura, corpo, mas também frescura, com um final muito longo onde se salientam as notas de frutos secos. Um vinho gastronómico, que se pode beber agora ou guardar durante mais alguns anos. Para apreciar com pratos de peixe, algumas carnes brancas e até queijo de pasta mole.

 

Branco Pera Manca

Pêra Manca Branco 2013
Adega da Cartuxa
Castas: Antão Vaz e Arinto
PVP: 25 euros
Classificação: 17,5/20

Produzido no Alentejo, a partir de uvas das vinhas da Fundação Eugénio de Almeida, é um vinho elegante, complexo, com notas de fruta de caroço e citrina, frutos secos, especiarias e algum mineral. Na boca é encorpado, mas fresco, um vinho longo com notas citrinas no final. Pode ser apreciado agora ou durante mais uns anos. Sirva-o entre os 10 e os 12ºc no copo, na companhia de queijos, fumados e pratos de peixe mais complexos, por exemplo.

 

Branco Expressões

Expressões Anselmo Mendes 2014
Anselmo Mendes Vinhos
Casta: Alvarinho
PVP: 22 euros
Classificação: 17,5/20

Mais um projecto deste enólogo que, neste caso, pretende expressar todo o potencial do terroir da casta Alvarinho de Melgaço e Monção. É um vinho do aroma elegante e complexo, fresco, onde se salientam as notas de fruta e tosta da madeira. Na boca mostra estrutura e complexidade, mas também frescura e um final longo e agradável. A melhor companhia são mariscos com sabor a mar, como ostras ao natural e percebes.

Branco Conde de ervideira

Conde d’Ervideira 2013
Adega da Ervideira
Casta: Antão Vaz
PVP: 12 euros
Classificação: 17/20

Branco alentejano com aromas tropicais, onde se salientam as notas de maracujá e abacaxi, e especiarias como a pimenta e baunilha. É um vinho untuoso, maduro, mas também fresco na boca, onde é longo com alguma especiaria no final. Para servir fresco, entre os 7 e os 8ºC, na companhia de peixes fumados, por exemplo.

Branco Mirabilis 

Mirabilis Grande Reserva Branco 2014
Quinta Nova
Castas: várias em vinhas velhas, principalmente Viosinho e Gouveio
PVP: 32 euros
Classificação: 17/20

Produzido com uvas de vinhas velhas de Sabrosa e Tabuaço, no Douro, é um branco fresco, elegante, com aromas onde se salientam notas citrinas e de fruta de caroço, conjugadas com especiarias da madeira. Na boca é um vinho com boa estrutura e acidez, mineral, muito equilibrado e longo. Um branco para apreciar agora ou durante mais alguns anos.

White Douro

Churchill’s Estates Branco 2015
Churchill’s
Castas: Rabigato e viosinho
PVP: 12 euros
Classificação: 17/20

Aroma fresco, elegante, com notas de mineral calcário, giz, de fruta branca a lembrar pera rocha e citrina a tangerina. Na boca é fresco, elegante, com final médio citrino. É bom parceiro de pratos de peixe e marisco.
Branco Adega Mãe

Adega Mãe Viosinho 2014
Adega Mãe
Casta: Viosinho
PVP: 8,5 euros
Classificação: 17/20

O seu aroma é intenso, fresco, com notas de flores brancas e de fruta de caroço, que lembra pêssego. Com muita mineralidade na boca e algumas notas salinas, a lembrar a proximidade do mar às vinhas de onde é produzido, este vinho da região de Lisboa tem uma acidez intensa, mas agradável. É boa companhia para alguns mariscos cozidos, pratos de peixe grelhado e assado no forno. Servir de 7 a 8ºC de temperatura no copo.

Branco Encontro

Encontro 1 2012
Quinta do Encontro
Casta: Arinto
PVP: 25 euros
Classificação: 17/20

Vinho bairradino de aroma intenso, complexo, fresco, com notas de fruta citrina e branca, a lembrar maçã verde, amanteigadas e tostadas da madeira. Tem grande volume de boca, é elegante e harmonioso e pode ser apreciado agora ou durante mais alguns anos na companhia de queijos de pasta mole, enchidos, fumados e pratos de peixe. Sirva-o entre os 10 e 12ºC no copo.

Paulo Laureano Premium Vinhas Velhas 2014

Paulo Laureano Vinus
Castas: Antão Vaz, Arinto e Fernão Pires
PVP: 5,4 euros
Classificação: 17/20

Vinho produzido com uvas das castas Arinto e Fernão Pires plantadas na região de Bucelas, e Antão Vaz, da Vidigueira, com esta última a ser fermentada em madeira e as outras duas em inox. Tem um aroma elegante, com notas frescas de frutos citrinos a lembrar tangerina e tropicais, como maracujá, entre outros. Também alguma mineralidade e madeira. Na boca é macio, elegante e tem um final longo com algumas notas de madeira. Bom parceiro de pratos de peixe e alguma charcutaria.

Branco Santa Vitória

Santa Vitória Grande Reserva Branco 2012
Casa de Santa Vitória
Castas: Chardonnay e Arinto
PVP: 10 euros
Classificação: 16,5/20

Aroma elegante, citrino, com fruta tropical e branca, notas amanteigadas e alguma madeira. Na boca é fresco, elegante e longo, com algum citrino a lembrar limão e lima madura no final. Um vinho alentejano com personalidade, que é boa companhia para diversos pratos de peixe e frutos do mar cozinhados.

 Branco são

São Matias Dão Branco 2014
Casa São Matias
Castas: Encruzado, Malvasia Fina e Bical
PVP: 6 euros
Classificação: 16,5/20

Fresco, delicado e suave, com algum floral delicado e fruta branca a lembrar maçã e pêra, mais algum citrino no aroma, é um vinho do Dãoi com mineralidade, volumoso, que tem acidez bem equilibrada na boca e um final longo e elegante.

Branco Santos da Casa

Santos da Casa Branco Douro 2014
Santos & Seixo
Castas: Códega do Larinho, Gouveio e Viosinho
PVP: 5,5 euros
Classificação: 16/20

Um vinho com aroma expressivo, fresco, citrino, com notas de flores brancas e de fruto de caroço a lembrar pêssego, é equilibrado, tem corpo mediano e é persistente. Boa companhia a seguir a um dia de praia, na companhia de pratos leves e peixes grelhados, desde que servido entre 8 e 12ºC no copo.

Classificação de prova

18 a 20: Um grande vinho, profundo, com uma personalidade e complexidade que o distingue de todos os outros e proporciona, a quem o degusta, uma experiência única.

16 a 17: Um vinho complexo, distinto, de boa qualidade e potencial de evolução, que vale sempre a pena apreciar.

14 a 15: Um vinho bem feito, consistente, que proporciona satisfação a quem o bebe.

12 a 13: Um vinho simples e honesto, do dia-a-dia, sem defeitos nem aspirações.

Todos os vinhos com classificação inferior são desinteressantes, desequilibrados ou apresentam defeitos. Nunca serão mencionados nestes artigos.