A agenda de Filipa Guimarães

A diretora do mercado da Europa do sul da empresa alemã que desenvolveu os inovadores colchões Emma trabalha em Frankfurt e gosta do ritmo acelerado das startups.

Filipa Mira Guimarães

Na Alemanha, Filipa Mira Guimarães, 38 anos, dedica-se a vender colchões numa caixa. Pouco depois da licenciatura em Psicologia no ISPA, queria ter uma experiência internacional e se mudou para Paris onde desenvolveu um gosto particular por psicologia aplicada ao comportamento do consumidor. Foi numa perfumaria em Paris que desenvolveu a sua tese sobre o poder sugestivo das marcas na decisão de compra. Passados alguns meses a trabalhar em França aprendeu a falar francês que considera hoje a sua segunda língua.

A Smartbox aparece no horizonte de Filipa Mira Guimarães, onde começou como gestora de produto da categoria ”Bem estar e SPA”. Depois de três anos, a companhia internacional francesa desafia-a a implementar o conceito “Experience in a box” em Portugal. Deu o seu contributo a conceitos de renome como a Groupon e numa das startups mais populares em Portugal, a Uniplaces. Dotada de um forte espírito empreendedor, focada em objectivos e soluções, sempre preferiu ambientes de startups.

Das caixas de experiências, saltou para a Alemanha onde é diretora do mercado da Europa do Sul, com o desafio de levar a Emma a Itália, Espanha e Portugal. A Emma é uma start-up alemã, fundada em 2015, com presença em Portugal desde 2017, que criou um produto único: o Colchão Emma Original, que já ganhou vários prémios em diferentes países, incluindo o selo de “Melhor do Teste” da Deco Proteste. A Emma está presente em mais de 20 países e toda a equipa trabalha a partir de Frankfurt. Eis como são os dias desta serial entrepreneur, que afirma que sempre pensou “out of the box” e que transformou a forma como se compram colchões: dentro de uma caixa

8h00

Quando estou em Frankfurt o dia começa a esta hora. Não preciso de muito tempo para me arranjar, as minhas manhãs são objetivas e práticas: tomo um duche, visto-me, mas não dispenso o meu rimmel e um batom. Vou de metro para o trabalho porque o trânsito nesta cidade é caótico e não gosto de começar o dia com stress. Durante a viagem aproveito para pôr a leitura em dia ou ouvir a minha meditação, uma Tedtalk ou um dos meus guias preferidos (esta escolha é baseada nos objetivos e obstáculos que espero para esse dia).

9h00

Quando chego ao escritório bebo um café, para começar oficialmente o meu dia, e tento sempre sentar-me num lugar junto da equipa da Europa do Sul, que inclui Portugal, Espanha e Itália. O ritmo de uma startup é acelerado e é preciso ser ágil e eficaz. Faço questão de me sentar no open space, partilhado com mais de 20 equipas de países diferentes, pois só assim conseguimos manter uma boa dinâmica e dar respostas rápidas e alinhar soluções no momento em que os obstáculos surgem. Para além disso, esta proximidade ajuda a criar um espírito de companheirismo e entreajuda que é muito importante para o sucesso de uma empresa.

10h00

Às terças-feiras temos a habitual reunião semanal de feedback onde são partilhados os resultados dos vários mercados. Aproveitamos este momento em que as equipas estão todas reunidas para trocar algumas ideias e conhecimentos que possam ser aplicados em diferentes geografias. Temos noção que os mercados são todos diferentes, mas há casos de sucesso que podem ser adaptados e resultar igualmente bem noutros países, por isso considero esta troca de ideias bastante útil e tento sempre aproveitar ao máximo.

Nos restantes dias, aproveito as manhãs para outras reuniões de equipa. Tento dar o máximo de liberdade de decisão aos elementos da minha equipa porque acho que só assim conseguem enfrentar os desafios e arranjar a melhor forma de os ultrapassar. Estas reuniões servem para me darem uma overview do que se está a passar e, assim, poder dar o meu input, mas também para garantir que toda a gente sente o meu apoio nas decisões e ações realizadas.

13h00

Habitualmente almoço na copa do escritório com os meus colegas e a minha refeição costuma ser algo que preparei no dia anterior (nothing fancy). A hora de almoço da Emma é uma ótima oportunidade para praticar outras línguas, já que temos pessoas de mais de 30 nacionalidades diferentes a trabalhar no mesmo espaço. Somos uma equipa muito jovem e temos uma cultura bastante descontraída, por isso, este é sempre um momento de boas risadas e uma ótima oportunidade para fortalecer a relação com a equipa.

14h00

Durante a tarde revejo alguns emails, trato de assuntos pendentes ou agendo outras reuniões que não consegui encaixar no período da manhã. No silêncio das últimas horas do dia consigo concentrar-me melhor e aproveito para me organizar. Gosto de escrever o resumo do meu dia e tomar nota de algumas ideias que quero explorar ou temas que ficaram por resolver. Não acabo o meu dia de trabalho sem fazer este exercício, só assim consigo fechar o capítulo e estipular novos objetivos para o dia seguinte.

18h30

Nem sempre consigo chegar a casa à mesma hora, depende de como correu o dia e dos desafios que surgiram, mas tento não chegar muito tarde porque gosto de ter tempo para mim e para organizar as coisas em casa. Nos dias em que consigo chegar mais cedo, durante os meses de verão aproveito para estar com amigos e passear pelos mercados que existem por toda a cidade. No inverno, os mercados de Natal, muito populares por aqui, são a minha perdição. É nesta altura também que aproveito para ir ao ginásio.

20h00

Sou eu e o meu marido que preparamos o jantar. Gostamos sempre de experimentar e arriscar coisas novas. Enquanto jantamos pomos a conversa em dia e contamos como correu o trabalho. Este é um momento que tentamos respeitar e evitamos ver emails enquanto estamos à mesa. A seguir arrumamos a cozinha juntos e preparamos a marmita para o dia seguinte. Depois de estar tudo organizado, vemos um ou dois episódios de uma série que estejamos a seguir naquele momento. Normalmente algo simples e divertido. Séries de conteúdo profundo, “suspense”, com hipóteses e cenários futurístico ou terror não resultam muito bem antes de ir para a cama.

23h00

Passo o dia a ouvir falar sobre descanso e a necessidade de dormirmos bem, por isso não consigo deixar de dar a maior importância ao momento de ir dormir. Tento sempre deitar-me cedo e cumprir o meu ritual de sono. Antes de adormecer gosto de ler um pouco até ficar com sono, o que é muito fácil com um colchão Emma.