4 escolas portuguesas entre as melhores da Europa

O ranking das melhores escolas de negócios europeias do Financial Times inclui este ano quatro escolas portuguesas. Nova SBE, Católica Lisbon, Porto Business School e ISCTE são as eleitas.

Escolas portuguesas estão cada vez mais internacionais.

O ranking do Financial Times, liderado este ano pela London Business School, tem quatro escolas nacionais entre as 90 instituições de ensino superior de Economia e Gestão que avalia. A Nova SBE é a melhor colocada, na 25.ª posição, seguida da Católica-Lisbon na 26.ª, da Porto Business School no 59.ª lugar e do ISCTE Business School que se estreia neste ranking e que surge em 80.º lugar.

A Nova SBE consegue um 20.ª lugar para o seu MBA full time, enquanto o MBA executivo surge na 43.ª posição. O seu mestrado em Gestão alcançou a 16.ª posição, enquanto a formação executiva aberta e a formação executiva à medida ficaram nos 28.º e 29.º lugares, respetivamente.

A Católica-Lisbon ocupa também a 20.ª posição no MBA e a 43.ª no MBA Executivo – ambos os MBA são em parceria com a Nova SBE -, surgindo depois o seu Mestrado em Gestão na 31.ª posição do ranking, a formação executiva aberta na 22.ª e a formação à medida em 21.º lugar.

A Porto Business School conseguiu a 55.ª posição para o MBA executivo, mas melhores classificações para os seus programas de formação executiva – 33.ª para a formação aberta e 34.ª para a customizada.

Finalmente, o ISCTE Business School estreia-se nesta lista colocando os seus programas abertos para executivos no 37.º lugar e o seu mestrado em gestão na 72.ª posição.

O FT European Business School Ranking é um dos mais conceituados a nível mundial, colocando as escolas nele incluídas nos radares de executivos de todo o mundo. Com critérios que avaliam as escolas em cinco categorias – mestrados em Gestão, MBA full time, MBA Executivo, formação executiva aberta e formação executiva à medida das empresas – constar nesta lista restrita é sinónimo de muito trabalho por parte das escolas. E não há lugares seguros, como se constata este ano em que o reputado INSEAD perdeu o 3.º lugar para a espanhola IE Business School e caiu para a 5.ª posição, ainda atrás da suíça Universidade de St. Gallen.