Livro: Lutadoras: Mulheres rurais no mundo

Uma nova edição desta homenagem às mulheres rurais, que desempenham um papel fundamental no desenvolvimento produtivo e garantem a estabilidade e a sobrevivência do setor.

As quatro fotografias deste livro são de Sebastião Salgado.

O IICA, Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura, e a Corteva Agriscience, empresa líder no setor agrícola em tecnologia aplicada a sementes, proteção de culturas e agricultura digital que era anteriormente era a Divisão de Agricultura da DowDuPon, lançaram uma nova edição do livro Lutadoras: Mulheres rurais no mundo, que pretende homenagear as mulheres rurais, que desempenham um papel fundamental no desenvolvimento produtivo e garantem a estabilidade e a sobrevivência do setor. Este projeto nasceu com o objetivo de celebrar o Dia Internacional das Mulheres Rurais, estabelecido pela ONU no dia 15 de outubro de cada ano, assim como de gerar um espaço de reflexão sobre a realidade de um setor historicamente masculino e que ainda regista grandes desigualdades de género.

Esta nova edição, ampliada, reúne 400 páginas de reflexões e análises de 37 autores, provenientes dos cinco continentes, que abordam, a partir de diferentes perspetivas, a situação das mulheres do campo e a sua verdadeira contribuição para a atividade agropecuária e para o desenvolvimento dos meios rurais. Os participantes, entre os quais se inclui Rosa Monteiro, Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade do Governo de Portugal, facultam dados e estatísticas sobre a vida das mulheres rurais, dão uma resposta à necessidade urgente de criar oportunidades que lhes concedam poder, explicam o motivo de ter um lugar preferencial nas agendas nacionais e internacionais e recolhem testemunhos pessoais e íntimos da sua própria origem rural.

Na sua reflexão, Rosa Monteiro, Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade do Governo de Portugal, sublinha que “As mulheres rurais de ontem, de hoje e de amanhã são dignas de igualdade e seguirão lutando até obtê-la. Não obstante, uma análise mais profunda mostra que algumas mulheres rurais são jovens e muito qualificadas e ocupam cargos profissionais que antes estavam fora de seu alcance, várias das quais desenvolvem projetos inovadores dentro de cooperativas ou microempresas nos setores agrícola e turístico, entre outros. Muitas experiências inovadoras lideradas por mulheres no âmbito artesanal têm-se mostrado bem sucedidas e promovido as comunidades e as tradições locais, com o apoio de avançadas ferramentas tecnológicas, de projeto e de comercialização. Os formuladores de políticas devem levar em conta o contexto histórico e enfrentar os problemas, aumentando o potencial e os recursos disponíveis. É uma responsabilidade de todos cumprir a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, em que a igualdade de género constitui um dos principais objetivos.”, afirma Rosa Monteiro, em comunicado.

María Torné, responsável da área de investigação para EMEA da Corteva, sublinha a propósito da apresentação deste livro que “as mulheres desempenham um papel fundamental no meio rural e as empresas e instituições têm de ser as precursoras da mudança para eliminar as barreiras de igualdade de género que continuam a existir. Neste sentido, a Corteva tem um compromisso firme com a sociedade e, para isso, a empresa está a organizar diferentes ações com governos, ONG e outros grupos de interesse”.

Este livro conta com a colaboração de Sebastião Salgado, fotógrafo socio-documental e fotojornalista que cedeu ao IICA as quatro fotografias desta publicação.