10 factos sobre proteção solar
(que talvez não saiba)

Nos últimos anos criou-se uma tendência para demonizar o sol, mas não é caso para tanto. Ele tem imensos benefícios para a saúde e bem-estar. O segredo está simplesmente em impedir que se transforme num inimigo da sua pele.

Reaplique a proteção, no mínimo, a cada duas horas

Nos primeiros dias de praia todo o cuidado é pouco quando se expõe ao sol. Mas com a proteção adequada os benefícios do sol começam a a notar-se logo no primeiro dia. As radiações UVB ativam a vitamina D que ajuda a fixar o cálcio nos ossos, estimula a formação de serotonina, a chamada hormona da felicidade que reforça a sensação de bem estar, e tem um papel importante na regulação do sono. Para retirar o máximo benefício do sol só tem de estar bem informada e aprender a proteger-se dele.

Cerca de 80% da dose de radiação tolerada pela pele atinge-se por volta dos 18 anos

As exposição alargada aos raios solares sem a proteção adequada, quer em longos dias de praia, quer nas inúmeras atividades que se fazem ao ar livre, como jogar futebol, voley, rugby, andar de bicicleta ou skate, vão reduzindo o capital solar do organismo que não é infinito, diminuindo a sua capacidade de defesa face às radiações solares. Esta é mais uma boa razão para proteger a pele dos seus filhos sempre que fazem atividades ao ar livre.

Ainda que à superfície os efeitos nocivos do sol desapareçam, os danos provocados nas células são irreparáveis

Os efeitos negativos da exposição solar sem proteção prolongam-se durante três horas

Um estudo publicado na revista Science explica que a radiação ultravioleta desencadeia um processo no interior da pele, que sobre-estimula a melatonina levando-a a causar danos no ADN capazes de provocar o cancro de pele, e que mantêm a intensidade nas três horas subsequentes à exposição solar.

Quanto mais fluído e fácil de aplicar é o protetor solar, menor quantidade de princípio ativo aplica

Por isso, deve renová-lo com mais frequência. Tenha sempre presente que apesar das aparências, a pele nunca recupera de um escaldão. Ainda que à superfície os efeitos nocivos do sol desapareçam, os danos que provocados nas células são irreparáveis.

As crianças com menos de 3 anos devem usar protetores solares físicos 50+

São aqueles tipo pomada, difíceis de espalhar, mas que protegem a pele de forma mais eficaz e reduzem também o risco de alergia. A partir dessa idade nunca deve usar proteção abaixo de 30 e prefira-a em creme ou em leite para ter a certeza de que aplicou produto em todo o corpo.

 

Mantenha os seus filhos bem protegidos do sol

Mantenha os seus filhos bem protegidos do sol

Uma t-shirt molhada deixa passar os raios ultravioleta

Os seus filhos só estarão protegidos com roupa seca e não é por terem uma t-shirt vestida que podem estar expostos ao sol nas horas de maior risco. No período entre as 11h e as 17h o ideal é estarem em casa, mas se insistir em ficar na praia, tente mantê-los à sombra, sempre com proteção máximo, chapéu e óculos de sol, e dê-lhes bastante água.

Os cabelos também precisam de proteção

Com a exposição ao sol, água salgada, vento e cloro, o cabelo tem tendência a secar. A sua proteção é importante para proteger a haste capilar e mantê-la hidratada. E não se esqueça de proteger o “risco do cabelo”, pois os escaldões nessa zona, bem como nas orelhas, são cada vez mais frequentes.

Há diferenças entre “à prova de água” e “resistente à água”

Segundo as marcas de protetores solares “resistente à água” significa que o produto pode manter a ação mesmo depois de dois banhos de 15 minutos cada, enquanto um protetor  “‘à prova de água” resiste a quatro mergulhos. Por isso, o mais seguro é reaplicá-los após cada banho, especialmente se tem o hábito de se limpar à toalha quando regressa à areia.

Mesmo à sombra é preciso renovar o protetor a cada duas horas

Vale a pena aplicar protetor 30 minutos antes de chegar à praia

Nos primeiros dias, é a técnica mais indicada para toda a família. Os protetores químicos (a maioria), que necessitam do contacto com a pele para serem ativos, demoram cerca de 30 minutos a serem eficazes. Só os protetores físicos têm efeito imediato, mas estes são aqueles tipo pomada, mais difíceis de espalhar, que geralmente só se usam em peles muito sensíveis e em crianças.

Ficar debaixo do toldo também queima

Mesmo nos locais com sombra, é necessário renovar o protetor a cada duas horas, usar óculos de sol e chapéu. Não recebemos apenas as radiações diretas, mas também as que provêm da exposição solar refletida na areia e na água.

Deve usar protetor também nos dias em que o sol está encoberto

Quantas pessoas não apanharam memoráveis escaldões em dias nublados! Não se deixe enganar pelas nuvens, pois nestes dias a radiação ultravioleta tem a mesma intensidade, pois as nuvens filtram apenas a radiação infravermelha, diminuindo a sensação de calor. Mantenha todos os cuidados de proteção e redobre-os se às nuvens se juntar o vento.

O QUE DISTINGUE OS RAIOS UVB E OS UVA

Os raios UVA representam 95% da radiação ultravioleta que atinge a superfície terrestre e estão associados ao envelhecimento cutâneo e ao melanoma (o pior cancro de pele). Os UVB penetram mais profundamente na pele e são os responsáveis pela queimadura solar e por outros tipos de cancro de pele. Deve preocupar-se com ambos e procurar produtos com Fator de Proteção Solar (FPS) igual ou superior a 30 (que protege dos UVB) e também com proteção UVA.