Em tempo de crise, as redes sociais podem salvar o seu negócio

As redes sociais são uma poderosa arma na captação de novos clientes. Mas as marcas não devem cair no erro de tornar as suas redes sociais em catálogos. Mia de Seixas enuncia 3 regras que a ajudarão a melhorar a comunicação nas redes sociais.

Mia de Seixas é fundadora do projeto miadeseixas.com.

Texto de Mia de Seixas, fundadora do projecto miadeseixas.com, que visa “dar às mulheres o conhecimento e ferramentas necessárias para criarem ou desenvolverem os seus próprios negócios, gerarem rendimentos capazes de sustentar as suas famílias e conseguirem ter mais liberdade e tempo”.

“Numa fase em que todos estamos fechados em casa, e que cada vez mais nos apercebemos que o regresso a normalidade não será tão rápido como esperavamos, os negócios lutam para se tentarem adaptar à nova situação. Já ninguém discute o quão fundamental é para a sobrevivência dos negócios estar online. De facto, o numero de lojas online cresce de forma galopante de dia para dia. Contudo, o que muitos empresários falham em entender é que não basta abrir a porta metafórica da sua nova loja virtual – é importante atrair pessoas para ela.

As redes sociais são uma poderosa arma na captação de novos clientes. O problem é que muitas vezes as marcas caem no erro de tornar as suas redes sociais em verdadeiros catálogos, com publicações que tem tanto de consistente como de interessante para os seus potenciais clientes. E a fórmula para o sucesso é bastante simples – lembrar-nos que as pessoas gostam de pessoas.

Olhemos para a nossa experiência quando vamos a uma loja (ou um café, ou a qualquer outro estabelecimento comercial). Quando chegamos, gostamos de ser calorosamente recebidos por uma pessoa agradável, e simpática, que não só nos vai atender, como aconselhar e orientar para a melhor decisão de compra para as nossas necessidades. Pensemos também no ambiente, e em como normalmente escolhemos espaços que vão de encontro aos nossos gostos pessoais. Ninguém gosta de entrar num destes locais e ver o espaço desorganizado, colaboradores antipáticos, pouco disponíveis e pouco responsivos. Nunca passaria pela cabeça de nenhum de nós ter um espaço aberto ao público com estas características, mas então, porque é que caímos no erro de o fazer com as nossas redes sociais?

Não precisamos de ser peritos em marketing digital, ou designers profissionais para conseguir elevar a qualidade das nossas redes sociais, e começar a atrair mais pessoas, e consequentemente mais vendas. Basta termos bom senso, pensarmos em como é que o nosso cliente se vai sentir ao ver o que estamos a publicar, e como é que podemos acrescentar valor na sua vida.

Deixo três técnicas que pode começar a usar hoje para melhorar a sua comunicação nas redes sociais:

1 – Dê às pessoas um motivo para a seguirem.

Ninguém gosta de seguir uma conta de instagram ou facebook que é só um enorme catálogo. E menos ainda gosta de seguir uma conta onde nenhum dos seus comentários é respondido ou recebe a atenção devida. Por isso mesmo, certifique-se que responde a todas as mensagens pendentes, mesmo as menos positivas. Procure também entender que tipo de conteúdo/informação pode dar gratuitamente aos seus seguidores. Lembre-se que todo o conteúdo que coloca online vai ser a impressão com que os clientes vão ficar da qualidade e profissionalismo do seu trabalho, por isso não tenha medo de partilhar alguns dos seus melhores truques e estratégias. Pense neste conteúdo como uma versão experimental que o seu futuro cliente está a ter de si, e que o vai ajudar a decidir se quer, ou não, comprar de si.

2 – Os factos informam, as histórias vendem

As pessoas gostam e relacionam-se com outras pessoas. As histórias ajudam a humanizar as marcas e a permitir que quem as segue se apaixone por elas. Quando falo de histórias, falo não só em partilhar a história da sua marca, as motivações que a fizeram criá-la, as adversidades pelas quais já passaram, as pequenas coisas que acontecem no vosso dia a dia, mas também histórias e testemunhos dos seus clientes. Para além de o nosso cérebro memorizar melhor histórias do que factos, elas também despertam em nós sentimentos e emoções, para além de as suas histórias serem apenas suas, e a diferenciarem da concorrência.

3 – Foque-se nas necessidades, e não nas características

Ninguém compra um aspirador pelas rotações por minuto ou pela pressão de ar que ele suga. As pessoas compram um aspirador porque querem uma casa limpa. Por isso mesmo, quando está a comunicar com o seu cliente, em vez de se focar nas características do seu produto ou serviço, foque-se nos problemas que ele lhe vai resolver. Quais são as necessidades que o seu cliente tem, e que pode satisfazer? Quais é que são os problemas que deixam o seu cliente acordado durante a noite, e que pode ajudar a resolver? Permita ao seu cliente entender qual a transformação que pode esperar quando comprar o que vende, e sonhar com o quão melhor pode ser a sua vida consigo. E mais importante que tudo isto – entenda bem quem o seu cliente é, e crie todas as suas publicações com ele em mente. Se não estiver a criar as suas publicações para ele, como é que pode esperar que ele se interesse por elas?

Convido-a a colocar estas técnicas em prática, e a ver os resultados a aparecer.”

Parcerios Premium
Parcerios