Qual é o melhor produto para investir as poupanças?

Não existe apenas um melhor produto. Depende muito do investidor, do tempo em que pode ter o dinheiro investido – horizonte de investimento –  dos níveis a que se encontram as taxas de juro e a consequente remuneração de investimentos em produtos de taxa fixa (depósitos a prazo, obrigações); dos preços a que cotam as ações que queremos comprar e do temperamento do investidor para suportar a volatilidade diária dos mercados financeiros.

Regra geral, se o investidor tiver horizonte de investimento de 3 a 5 anos e se estiver preparado para assistir a maiores variações da sua carteira de investimentos, a melhor opção são as ações. Elroy Dimson, professor da London Business School, comprova-o no seu livro O Triunfo dos Optimistas, onde compara os rendimentos de todas as classes de ativos ao longo de mais de 100 anos e conclui que as ações se destacam por larga margem.

Hoje, depois das correções dos últimos meses, estamos a investir em excelentes empresas a cotar a desconto substancial do seu valor. Estas empresas pagam na sua maioria dividendos muito acima das aplicações de taxa fixa e daqui a alguns anos cotarão substancialmente acima do que hoje pagamos por elas. Muitas destas empresas aumentam todos os anos os dividendos que pagam aos seus acionistas.  Ao contrário, um investidor que investe numa obrigação a 10 anos, tem hoje um cupão mais baixo, que é constante para os próximos dez anos e no final recebe exactamente o mesmo valor que “emprestou” quando investiu.

Por isso, costumamos dizer que o investidor individual, que pode ter um horizonte de investimento de décadas, pode e deve investir em empresas excelentes e que são máquinas de criação de riqueza para o longo prazo.

Coloque a sua dúvida

Nome:

Mensagem: